Ex-gerente acusa Facebook de esconder informações e prejudicar crianças

·1 minuto de leitura
Frances Haugen, ex-gerente do Facebook
Frances Haugen disse, em entrevista, que empresa "coloca os lucros acima da segurança"

(JIM WATSON/AFP via Getty Images)

  • Frances Haugen acusou o Facebook de prejudicar saúde mental de jovens e ocultar informações

  • Durante depoimento ao Senado, a ex-funcionária pediu pela regulamentação da empresa 

  • Em entrevista ao G1, a rede social se opôs às acusações 

A ex-gerente de produtos do Facebook, Frances Haugen, disse durante depoimento ao Senado dos Estados Unidos que a rede social “prejudica as crianças, intensifica a divisão e enfraquece nossa democracia”. A audiência foi realizada nesta terça-feira, 5, na qual Haugen pediu pela regulamentação da empresa.

Leia também:

Na semana passada, a ex-funcionária vazou, para as autoridades e o Wall Street Journal, uma série de documentos que revelam que o Facebook sabia que seus produtos afetavam a saúde mental de jovens. Segundo ela, é fundamental que o Congresso intervenha para aparar o poder que a rede social tem no dia a dia de tantos cidadãos.

"A empresa esconde intencionalmente informações essenciais aos usuários, ao governo dos Estados Unidos e aos governos do mundo todo. A gravidade desta crise exige que saiamos das nossas estruturas regulatórias anteriores".

Na CBS News, Haugen disse que o Facebook “coloca os lucros acima da segurança” e que é “substancialmente pior” que tudo o que já viu. Em sua trajetória profissional, a engenheira de computação passou por empresas como Google e Pinterest.

Ao G1, o Facebook disse que “sugerir que encorajamos conteúdo nocivo e não fazemos nada a respeito simplesmente não é verdade" e que se opõem a todas as denúncias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos