Ex-governante, general aposentado e economista são os favoritos nas eleições presidenciais tchecas

Um ex-primeiro-ministro milionário, um ex-general da Otan e uma economista lideram as pesquisas para o primeiro turno das eleições presidenciais na República Tcheca, que será na sexta-feira (13).

São eles: o ex-premiê Andrej Babis, de 68 anos; o ex-paraquedista Petr Pavel, de 61; e a economista Danuse Nerudova, de 44, a única mulher na disputa.

O vencedor presidirá um país que enfrenta uma inflação recorde e um enorme déficit fiscal atribuído à guerra na Ucrânia.

Há outros candidatos na corrida presidencial, mas, de acordo com as pesquisas, esses três são os únicos com chances de vitória, disse à AFP Josef Mlejnek, analista da Universidade de Charles, em Praga.

"Há 99% de certeza de que um dos três chegará ao segundo turno", afirmou.

A menos que alguém obtenha mais de 50% dos votos no primeiro turno, haverá segundo turno nos dias 27 e 28 de janeiro entre os dois candidatos mais votados.

O vencedor substituirá Milos Zeman, de 78 anos, cujo mandato termina em março e que teve mais influência do que um presidente tcheco costuma ter.

Embora seu papel seja essencialmente cerimonial, o chefe de Estado é quem nomeia o governo, escolhe o presidente do Banco Central e os juízes constitucionais. Também é o comandante em chefe das Forças Armadas.

Quem for eleito será o quarto presidente desde que a República Tcheca se separou da Eslováquia, em 1993.

- Favoritos -

Andrej Babis, que aparece com uma pequena vantagem nas pesquisas, tem uma fortuna de mais de US$ 4 bilhões, segundo a revista Forbes.

As mesmas pesquisas indicam, no entanto, que Pavel e Nerudova podem derrotá-lo no segundo turno.

Babis é atacado por seu passado comunista como suposto agente da polícia secreta e enfrenta questionamentos sobre seus negócios. Na segunda-feira (9), um tribunal de Praga absolveu-o de um caso de fraude com subsídios da União Europeia de US$ 2 milhões.

Babis, do movimento liberal-conservador ANO (sigla para Alliance of Discontented Citizens), que em tcheco significa SIM, tem um consolidado apoio de 30% nas pesquisas.

Já Pavel se oferece para "restaurar a ordem" no país sob sua "liderança experiente e calma". Na sua carreira, foi chefe do Comitê Militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) entre 2015 e 2018.

Nerudova, a candidata mais jovem, concentrou sua campanha nas redes sociais, sempre aproveitando para destacar seus fortes laços familiares. Acadêmica, foi reitora da Universidade Mendel, em sua cidade natal, Brno. Prometeu "deixar o ego para trás" e "se comunicar com todos os grupos de pessoas".

Babis ficou em primeiro lugar em duas pesquisas de opinião, publicadas no domingo (8) e na segunda-feira, pela CNN Prima News e pela agência Ipsos. Em outras pesquisas, divulgadas nos mesmos dias pela Czech Television e pela agência Median, Babis ficou atrás de Pavel.

Babis e Pavel pontuaram entre 26% e 29,5%, enquanto Nerudova ficou entre 21% e 25%.

"Minha previsão é que Babis esteja no segundo turno", comentou o analista Mlejnek. "A questão é se ele enfrentará Pavel, ou Nerudova".

Nenhum dos candidatos restantes atinge mais de 10%.

frj/amj/jj/mas/zm/aa/tt