Ex-James Bond se desculpa por homofobia e machismo em evento de "007"

George Lazenby na premiere de
George Lazenby na premiere de "Miles To Go". Foto: Rodin Eckenroth/Getty Images

Resumo da notícia:

  • Ex-James Bond foi acusado de homofobia e machismo em evento de "007"

  • George Lazenby usou as redes sociais para se retratar após discurso preconceituoso

  • Ele teria contado histórias envolvidas por relações sexuais ao fugir do foco da reunião

George Lazenby, intérprete de James Bond na década de 1960, foi acusado de machismo e homofobia em sua participação no evento "The Music of James Bond", da franquia "007".

O ator de "007: A Serviço de Sua Majestade", de 1969, teria feito um discurso bastante preconceituoso com temas que não estavam relacionados com o foco da reunião em Perth, na Austrália.

De acordo com o The Guardian, ele descreveu "feitos sexuais" e relações com mulheres. "Ele foi homofóbico e certamente não estava falando sobre seu filme como James Bond", disse uma mulher presente no evento à rádio 6PR.

"Foi absolutamente inacreditável... A certa altura, ele citou um jogador de críquete australiano em cuja filha ele estava 'interessado'. E ele contou que arrastou a mulher para fora de um pub e a colocou em um carro em Londres, o que novamente é horrível. Não foi encantador nem engraçado. Foi assustador, foi ofensivo... A apresentação foi nojenta, não há duas maneiras para falar sobre isso", completou.

O detalhe é que George não estará presente nas próximas datas do evento e usou as redes sociais para se desculpar com o público pela repercussão de suas declarações.

"Sinto muito por ouvir que minhas histórias ofenderam algumas pessoas. Não era minha intenção fazer comentários homofóbicos e ofensivos. Sinto muito por minhas histórias serem encaradas dessa forma. Apenas queria compartilhar", escreveu o ator. Confira: