Ex-jogador de Zâmbia morre atacado por seus cães

Philemon Mulala foi encontrado pela esposa no quintal da casa que moram na África do Sul

Philemon Mulala morreu aos 60 anos, depois que sua esposa o encontrou em seu próprio quintal. Foto: Football Association of Zambia/Facebook
Philemon Mulala morreu aos 60 anos, depois que sua esposa o encontrou em seu próprio quintal. Foto: Football Association of Zambia/Facebook

Philemon Mulala morreu aos 60 anos, depois que sua esposa o encontrou em seu próprio quintal, atacado por seus próprios cães. O ex-jogador da seleção da Zâmbia foi declarado morto no local no último sábado (7), em Lichtenburg, na África do Sul.

Os três cães já foram removidos da propriedade pela Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (SPCA).

Leia também:

Uma declaração da polícia, lida pelo porta-voz Sam Tsulanyane, descreveu as circunstâncias em que seu corpo foi encontrado por sua esposa.

“Ela não se preocupou em verificar o que havia de errado (quando os cachorros estavam latindo), pois a casa deles fica em uma rua movimentada e os cachorros frequentemente latiam para os pedestres e veículos que passavam”, informou.

Em seis partidas pela Zâmbia, ele marcou três gols e jogou em várias posições ao longo de sua carreira, incluindo lateral-esquerdo e lateral-direito.

Indiscutivelmente, o momento decisivo de sua carreira veio quando ele marcou dois gols na prorrogação contra o Quênia na semifinal do Campeonato da África Oriental e Central (CECAFA), em 1984, que seu time viria a vencer.

A Federação da Zâmbia prestou homenagem ao ex-jogador falecido, que ajudou a trazer a primeira taça para o país.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O porta-voz Sydney Mungala disse: “É um fim tão trágico. Muitos que o assistiram, especialmente os fãs do Mufulira Wanderers, expressaram sua dor”.

“Muitos se lembram dele dos tempos da seleção nacional, onde ele ganhou o primeiro grande título pós-independência da Zâmbia. [Desde que se aposentou] ele se aventurou nos negócios na África do Sul”, seguiu.

E o secretário-geral da entidade, Adrian Kashala, acrescentou: 'Ficamos com lembranças maravilhosas que o falecido Philemon nos homenageou em campo. Há muito que os jogadores de hoje podem aprender com a geração do falecido”.