Ex-jogador Samuel Eto'o admite culpa e é condenado por fraude fiscal na Espanha

Ex-jogador Samuel Eto'o e o antigo representante do atleta, José María Mesalles, foram condenado a 22 meses de prisão por quatro crimes de fraude fiscal na Espanha nesta segunda-feira. A dupla, que não será mantida atrás das grades, é acusada de declarar indevidamente 3,8 milhões de euros oriundos de operações sobre os direitos de imagem de Eto'o para a marca Puma e o Barcelona entre os anos de 2006 e 2009.

Conforme a agência EFE, o ex-jogador admitiu a infração, mas responsabilizou Mesalles, a quem identificou como "um segundo pai", pelo erro sem o mencionar diretamente no tribunal.

— Reconheço os fatos e vou pagar, mas quero que conste que eu era uma jovem e sempre fiz o que meu pai me pedia para fazer — ressaltou o camaronês, hoje com 41 anos.

Conforme o Ministério Público, o ex-atacante devia ter declarado o valor em seu imposto de renda pessoal, mas o fez por meio de duas empresas, dando início a um julgamento que se estendeu por anos. Mesalles preferiu não depor antes de admitir os fatos. O administrador de uma das empresas usadas na fraude, Jesús Lastre, foi absolvido.

Eto'o, que atualmente presidente da Federação dos Camarões, terá de pagar quatro multas, uma para cada infração que lhe foi imputada, com valor total de cerca de 2 milhões de euros. Mesalles também terá de pagar quatro multas de 905 mil euros no total.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos