Ex-jornalista da Euronews na mira de Moscovo

Um ex-jornalista da secção russa da Euronews na mira de Moscovo: Dmitry Glukhovsky diz que não será silenciado pelo Kremlin, depois da Rússia o ter colocado numa lista de pessoas procuradas.

Hoje um popular autor de ficção científica, com livros vendidos em todo o mundo, Glukhovsky - que vive fora da Rússia - é alvo de acusações formais por parte das autoridades russas, depois de ter criticado abertamente a invasão da Ucrânia.

Dmitry Glukhovsky, escritor e ex-jornalista da euronews:

"O artigo pelo qual sou acusado e procurado é classificado de um artigo para descreditar o Exército russo, mas na verdade é um artigo acerca de censura militar e a perseguição política de pacifistas na Rússia.

Qualquer opinião distinta da informação e posição da propaganda russa é declarada ilegal e os que ousam levantar a voz arriscam 15 anos de prisão.

O texto no Instagram pelo qual sou acusado diz: 'Não à guerra na Ucrânia. Admitam que é uma guerra real contra todo o povo ucraniano e ponham-lhe um fim'.

Independentemente do que sou acusado, estou disposto a repetir integralmente estas palavras: 'Peço o fim imediato das hostilidades na Ucrânia e a retirada das tropas russas'. "

Desde que invadiu a Ucrânia, em Fevereiro, Moscovo tem mantido uma política de "tolerância zero" contra qualquer forma de dissidência, protestos públicos, meios de comunicação críticos ou figuras da oposição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos