Ex-líder da extrema-direita austríaca se declara inocente em julgamento por corrupção

·3 minuto de leitura
Heinz-Christian Strache foi obrigado a renunciar do cargo de vice-chanceler em 2019 por causa do escândalo "Ibiza-gate"

Heinz Christian Strache, ex-vice-chefe de Governo da Áustria e que já foi líder do Partido da Liberdade (FPO, extrema-direita), se declarou inocente nesta terça-feira (6) em um julgamento por corrupção, em um caso derivado de um escândalo que provocou a queda do governo.

Há dois anos, Strache foi filmado com uma câmera escondida quando oferecia contratos públicos a uma mulher que se apresentara como a sobrinha de um oligarca russo, em troca de apoio eleitoral.

As cenas, filmadas na ilha espanhola de Ibiza, chocaram o mundo político, provocaram a convocação de eleições antecipadas e a abertura de investigações.

As declarações feitas no vídeo estão "gravadas na memória coletiva", destacou a procuradora no início das audiências no tribunal regional de Viena.

O acusado, de 52 anos, é suspeito de atuar para que uma clínica particular de cirurgia estética fosse incluída entre os estabelecimentos reembolsados pela Previdência Social.

O proprietário da clínica, Walter Grubmüller - que também está no banco dos réus - foi um doador do FPO e havia convidado Strache para seu iate, assim como para passar férias em uma causa na ilha grega de Corfu.

- Restaurar a imagem do FPO -

De acordo com as mensagens de texto examinadas, Strache perguntou abertamente a seu interlocutor "que alteração na lei" ele desejava para que seu estabelecimento, especializado em cirurgias estéticas, "fosse finalmente tratado de maneira justa". Grubmüller respondeu que enviaria um projeto de lei.

O ex-político de extrema direita remotou o argumento nesta terça-feira ao tribunal, onde se apresentou como um "justiceiro" que considera "vergonhosa" a situação das clínicas.

Seu advogado, Johann Paueret, afirmou que ele agiu por "convicção" e não porque teria recebido a promessa de favores.

Na ocasião, Strache negociava com os conservadores para formar uma coalizão. Ao chegar ao poder, a extrema-direita assumiu o ministério da Saúde.

A legislação foi modificada pouco depois, o que permitiu à clínica ser assimilada pela Previdência Social. Ddde acordo com cálculos de especialistas, o estabelecimento passou a ter o direito de receber fundos públicos que chegavam a 2,2 milhões de euros (2,6 milhões de dólares) por ano.

O julgamento deve terminar na sexta-feira e, em caso de condenação, a pena pode chegar a cinco anos de prisão.

Além deste processo, outros políticos estão na mira da justiça, entre eles o atual chefe de Governo, o conservador Sebastian Kurz. Os magistrados querem saber se o governante, de 34 anos, mentiu conscientemente em 2020 a uma comissão parlamentar, ao negar qualquer intervenção na nomeação de um parente para o comando de uma empresa pública.

Heinz Christian Strache, que já é acusado de desviar mais de meio milhão de dólares da verba do partido, afirma ser vítima de uma campanha de difamação

O FPO - que caiu de 26% nas urnas em 2017 para 16% em 2019 - acaba de nomear como líder o ex-ministro do Interior Herbert Kickl, responsável por restaurar a imagem do partido fundado por antigos nazistas nos anos 1950 e que atualmente insiste em uma retórica hostil ao islã e aos refugiados.

deh/anb/jhd/mab/mb/fp/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos