Ex-líder da extrema-direita da Áustria condenado por corrupção

·1 minuto de leitura
O ex-líder da extrema-direita austríaca Heinz-Christian Strache (AFP/GEORG HOCHMUTH)

O ex-líder da extrema-direita austríaca Heinz-Christian Strache foi condenado nesta sexta-feira pelo tribunal de Viena a uma sentença de 15 meses de prisão, mas com suspensão condicional da pena, em um caso de corrupção vinculado ao escândalo Ibizagate, anunciou a juíza Claudia Moravec-Loidolt.

Heinz-Christian Strache, que rejeita as acusações, foi condenado por ter favorecido uma clínica particular em troca de 10.000 euros destinados a seu partido e um período de férias na Grécia.

O proprietário da clínica, Walter Grubmuller, foi condenado a 12 meses de prisão, com suspensão condicional da pena.

Em maio de 2019 foi divulgado um vídeo, filmado em Ibiza (Espanha), no qual o ex-presidente do Partido da Liberdade (FPÖ) e vice-chanceler do governo austríaco aparecia oferecendo a uma suposta oligarca russa contratos de obra pública em troca de apoio eleitoral.

O vídeo provocou uma crise política, o fim da aliança entre o FPO e o partido do chanceler Sebastian Kurz e eleições legislativas antecipadas.

jza-anb/at/zm/me/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos