Ex-líder narcotraficante colombiano Rodríguez Orejuela morre em prisão nos EUA

Narcotraficante colombiano Gilberto Rodríguez Orejuela é escoltado pela polícia em aeroporto de Bogotá, em 2003

BOGOTÁ (Reuters) - Gilberto Rodríguez Orejuela, ex-líder do antes poderoso cartel colombiano de Cali, morreu nos Estados Unidos enquanto cumpria pena de 30 anos de prisão por tráfico de drogas, anunciou sua família na quarta-feira.

Conhecido às vezes por seu pseudônimo "o enxadrista", Rodríguez foi extraditado aos Estados Unidos em 2004. Aos 83 anos, ele cumpria sua sentença em uma prisão federal em Butner, no Estado da Carolina do Norte.

"Os filhos e esposa de Gilberto Rodríguez Orejuela lamentam informar que ontem, na terça-feira 31 de maio de 2022, às 18h54, nosso pai e marido morreu por conta de um linfoma", afirmou a família em um comunicado compartilhado por Alexandra, filha de Rodríguez.

A família disse que está iniciando o processo para extraditar os restos mortais de volta para a Colômbia.

A prisão de Rodríguez pelas autoridades colombianas em 1995 marcou o início da desintegração do cartel de Cali, que já chegou a controlar 80% do mercado global de cocaína, de acordo com um relatório contemporâneo da Agência de Fiscalização de Drogas dos Estados Unidos (DEA).

O irmão de Rodríguez, Miguel, foi preso dois meses depois e também cumpre pena nos Estados Unidos.

Os irmãos usavam bombas e vigilantes contra seu inimigo e também narcotraficante Pablo Escobar --morto em uma operação policial em 1993-- e seus associados.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos