Ex-lutador do UFC é preso após espancar mulher até ela ter convulsões

Cain Carriozosa atuou no UFC entre os anos de 2014 e 2015.
Cain Carriozosa atuou no UFC entre os anos de 2014 e 2015. Foto: (Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

Preso no primeiro domingo do ano, 1º de janeiro, o ex-lutador do UFC, Cain Carrizosa, é acusado de ter espancado sua namorada em duas diferentes ocasiões. O homem de 36 anos foi detido em St. George, em Utah, EUA, por agressão agravada de segundo grau, roubo de segundo grau e violência doméstica de terceiro grau na presença de uma criança. As informações são do site especializado em lutas MMA Junkie.

A polícia dos Estados Unidos teria respondido a uma ligação feita às quatro da manhã do primeiro dia do ano depois que os pais da namorada de Cain teriam ouvido uma forte discussão entre ambos, além do som de agressões físicas. Assim que chegaram ao local, as autoridades colocaram o ex-lutador do UFC em custódia e fizeram o mesmo com a mulher porque ela teria fugido do local.

Leia também:

De acordo com informações cedidas pela polícia, a mulher apresentava sinais de agressão em seu rosto, além de ter desmaiado e sofrido três convulsões intermitentes, já em uma ambulância, durante o trajeto da residência até um hospital próximo.

A agressão não teria sido a primeira, já que os policiais relacionaram o incidente na madrugada da virada de ano com um acontecido em 24 de março de 2022, onde o lutador teria agredido a mesma mulher. Na ocasião, ele teria dado um soco na nuca dela e a jogado em uma estrada, depois de arrastá-la para a calçada e deixá-la inconsciente no chão. Ela também teria tido convulsões neste episódio.

Desde o primeiro dia do ano, Cain Carrizosa está detido, sem direito ao pagamento de fiança, no gabinete do xerife do Condado de Washington. Com apenas duas lutas no UFC, o ex-lutador da organização tem um cartel péssimo de duas derrotas, uma em 2014 para Chris Wade e outra em 2015 para Leonardo Macarrão.