Ex-'menino da Dilma' se oferece para trabalhar na transição de Lula

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ex-secretário particular de Dilma Rousseff (PT) na Presidência, o empresário Anderson Dorneles se ofereceu para trabalhar como voluntário na equipe de transição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ele é atualmente ligado ao Avante e foi um dos responsáveis por costurar o apoio da legenda a Lula. Candidatou-se neste ano a deputado federal pelo Rio Grande do Sul, mas não foi eleito.

Dorneles começou a trabalhar com a ex-presidente aos 19 anos, em 1996, e ficou quase duas décadas a seu lado. Era conhecido como "o menino da Dilma", até ambos se distanciarem durante o processo de impeachment dela.

Durante a Lava Jato, teve o nome envolvido em rumores de que seria sócio de um bar dentro do estádio Beira-Rio, obra da empreiteira Andrade Gutierrez, implicada em suspeitas de corrupção. Não houve investigação formal contra ele, no entanto.

Dorneles tem dito que hoje mantém relação boa com Lula e com a própria Dilma. E que poderia colaborar na transição não apenas por ser do Avante, mas por conhecer como poucos o funcionamento da estrutura do Palácio do Planalto.