Ex-militar britânico é barrado na entrada do aeroporto de Cabul com 200 cães e gatos

·2 minuto de leitura

Um ex-militar britânico teve sua entrada barrada no aeroporto de Cabul na quinta-feira quando tentava alcançar um voo particular fretado para evacuar a equipe e os 200 cães e gatos de sua ONG de acolhimento de animais, a Nowzad, à medida que se esgota o prazo para retirada de estrangeiros do país, a quatro dias do prazo final acordado pelo Talbã e os EUA.

Paul 'Pen' Farthing, um ex-membro da Marinha Real Britânica que serviu no Afeganistão em meados dos anos 2000, disse que foi impedido pelos Talibãs, mesmo apresentando o passaporte do Reino Unido, devido a uma mudança na documentação exigida pelos EUA, que controlam o perímetro do aeroporto e o espaço aéreo de Cabul.

“Toda a equipe e cães/gatos estavam em segurança 300m dentro do perímetro do aeroporto. Fomos rejeitados porque @JoeBiden @POTUS mudou as regras de papelada apenas 2 horas antes. Passamos pelo inferno para chegar lá e fomos levados para o caos daquelas explosões devastadoras”, escreveu no Twitter.

Farthing, sua equipe e os animais foram supreendidos por fortes explosões enquanto tentavam entrar no aeroporto de Cabul na quinta-feira, no que, soube-se depois, tratava-se de um ataque terrorista, posteriormente reivindicado pelo braço afegão do Estado Islâmico, o Isis-K, que deixou mais de 170 pessoas mortas e mais de 200 feridas.

— O mundo desabou onde eu estava, a cerca de um quilômetro das explosões no portão Abbey, e tínhamos o Talibã atirando para o alto — disse o fundador do abrigo à BBC. — Um deles disparou um pente cheio no automático de seu AK-47 bem ao lado da janela do nosso ônibus onde tínhamos mulheres e crianças. Veja fotos do atentado ao aeroporto internacional de Cabul, no Afeganistão

Segundo informações da BBC, um avião com financiamento particular que deveria decolar do aeroporto de Luton, em Londres, para resgatá-los foi cancelado antes por motivos de segurança. Um novo voo de um país vizinho ao Afeganistão deve ser usado agora, mas as autoridades alegam que ele não pode pousar em Cabul até que Farthing tenha permissão para entrar no aeroporto.

O caso ganhou repercussão mundialmente, angariando críticos e apoiadores. O próprio ministro da Defesa britânico disse no início da semana que “facilitaria todas as etapas” para a Nowzad, mas que “a prioridade são as pessoas, não os animais de estimação”, e que “ninguém poderia pular a fila”.

Pen Farthing explicou em seu Twitter que os animais viajariam no compartimento de carga, que não pode ser utilizado para transporte humano. “O compartimento de carga está vazio - colocamos os cães e gatos lá! E 250 pessoas na cabine!”

Além de cães e gatos, o abrigo fundado por Farthing em Cabul também resgata burros — que costumam trabalhar como animais de carga — desde os anos 2000.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos