Milton Ribeiro obteve arma de fogo 5 meses após posse no MEC

Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Milton Ribeiro obteve arma de fogo 5 meses após posse no MEC

  • Ele tem em seu nome uma pistola Glock, calibre 9mm, com licença válida até 2025

  • Autorização ao pedido foi deferida pela PF duas semanas após o ministro ter protocolado pela internet o pedido

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro possui autorização concedida pela Polícia Federal (PF) para porte de arma de fogo desde dezembro de 2020. A concessão ocorreu cinco meses depois que ele assumiu o comando do Ministério da Educação (MEC) no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação é do portal UOL.

O pastor presbiteriano tem em seu nome uma pistola Glock, calibre 9mm, com licença válida até 2025.

O que chama atenção é que a autorização ao pedido foi deferida pela PF duas semanas após o ministro ter protocolado pela internet o pedido, sendo que o tempo médio estimado para a prestação desse serviço é de 31 a 60 dias, segundo o governo federal.

A PF, o Palácio do Planalto e a defesa de Milton Ribeiro foram questionados sobre a celeridade do processo, mas ainda não se manifestaram.

O ex-ministro é alvo de procedimento preliminar em que a PF apura o disparo acidental de arma de fogo no aeroporto de Brasília, que ocorreu no fim da tarde de segunda-feira (25).

Em depoimento à corporação, o ex-ministro afirmou que, depois de abrir sua pasta de documentos, pegou a arma para separá-la do carregador "dentro da própria pasta" —momento em que teria ocorrido o disparo.

De acordo com Ribeiro, por medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão, ele teria tentado desmuniciá-la dentro da pasta.

O disparo aconteceu enquanto o ex-ministro era atendido em um balcão da Latam. Uma funcionária da empresa aérea Gol que estava num guichê próximo foi atingida por estilhaços decorrentes do tiro acidental.

"Como havia outros objetos dentro da pasta, o local ficou pequeno para manusear a arma", justificou o ex-ministro.

"O projétil atravessou o coldre e a pasta e se espalhou pelo chão", disse.

A defesa de Milton Ribeiro, o advogado Luiz Carlos Neto, afirmou que a PF já devolveu a arma de fogo ao ex-ministro.

Ele informou que o ex-chefe do MEC se deslocava de Brasília para São Paulo em razão da mudança de domicílio, após entregar o apartamento funcional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos