Ex-ministro Ricardo Salles reconhece vitória de Lula: "Não há o que espernear"

Aliado de Bolsonaro, Ricardo Salles pediu
Aliado de Bolsonaro, Ricardo Salles pediu "serenidade" à população (AP Photo/Jon Elswick)
  • Ricardo Salles reconheceu a vitória de Lula sobre Jair Bolsonaro no segundo turno da eleição

  • Ex-ministro considerou que "não há o que espernear" sobre o resultado nas urnas

  • Salles também pediu "serenidade" aos cidadãos neste momento polarizado da política

Aliado de Jair Bolsonaro (PL), o ex-ministro Ricardo Salles reconheceu a derrota do presidente para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas no segundo turno da eleição.

Deputado federal eleito pelo mesmo partido do presidente, Salles considerou que "não há o que espernear", mas apontou as dificuldades que Lula enfrentará em um momento tão polarizado na política nacional.

"É preciso levar em consideração que metade do país não o queria como mandatário. Consequentemente, ele (Lula) precisa convencer essas pessoas de que o projeto que ele trouxe ao poder é de conciliação e não de divisão", declarou em entrevista ao UOL.

Salles foi ministro do Meio Ambiente no início do governo de Bolsonaro. Nesta eleição, foi o quarto deputado federal mais votado por São Paulo, com quase 641 mil votos.

Ministro pediu serenidade a cidadãos

Após a definição da vitória de Lula, o ex-ministro considerou que o resultado trazia "reflexões e a necessidade de buscar caminhos de pacificação", além de pedir serenidade aos cidadãos por meio de suas redes sociais.

Bolsonaro se tornou o primeiro presidente a tentar a reeleição e perder, após cair no segundo turno para Lula com 49,10% dos votos, contra 50,90% do petista.