Ex-PM e mais dois são presos em operação contra pedofilia em MG

Polícia prendeu três homens pelos crimes. Foto: Divulgação/Polícia Civil de Minas Gerais

Um PM (Policial Militar) e outros dois homens foram presos preventivamente durante uma operação da Polícia Civil de Minas Gerais para combater crimes de pedofilia. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (16).

A primeira ação aconteceu na cidade de Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, e a segunda fase da Operação Inocência acontecerá ainda nos próximos dias.

Um dos presos foi um policial militar reformado de 76 anos que não teve o nome divulgado. De acordo com informações da Polícia Civil de Minas Gerais, as investigações concluíram que ele abusava sexualmente de uma menina de nove anos.

Leia também:

Segundo as autoridades, ele era catequista em uma igreja local e tinha um relacionamento íntimo com as crianças. Se aproveitando dessa proximidade, ele teria cometido o estupro no interior da congregação em setembro do ano passado.

Uma outra criança teria testemunhado o crime, o que ajudou as autoridades a chegarem até o ex-PM. Além disso, a polícia também encontrou objetos suspeitos na casa dele, como cartas que eram trocadas entre ele e as crianças, camisetas e brinquedos. A polícia suspeita que ele oferecia os objetos para as vítimas.

Outro suspeito de 31 anos, que também não teve o nome divulgado, foi preso suspeito de abusar dos quatro filhos e de três sobrinhos. Ele confessou o crime contra as cinco meninas e os dois meninos. Todos têm idades entre dois e 14 anos.

Em sua confissão, a polícia afirma que o suspeito disse que cometia os crimes há sete anos e que chegava a obrigar que as crianças praticassem os atos entre elas.

O terceiro preso foi um homem de 56 anos, que também não teve a identidade revelada. De acordo com as informações da Polícia Civil, ele cometeu o crime contra a filha de oito anos em agosto deste ano.

Ele já tinha abusado da irmã da vítima, que atualmente está com 24 anos. Ela decidiu reportar o que estava acontecendo às autoridades quando descobriu que a irmã também estava sendo vítima do homem.

De acordo com a polícia, o suspeito se separou da mãe da vítima há três anos e o motivo para o divórcio teria sido os abusos cometidos pelo homem. Por omissão em relação aos crimes, a mãe das meninas também foi indiciada.