Ex-PM que integrava grupo de matadores é morto em troca de tiros com policiais civis

Carolina Heringer
·1 minuto de leitura

O ex-policial militar Anderson de Souza Oliveira, conhecido como Mugão, foi morto nesta sexta-feira, durante uma operação da Delegacia Especializada de Armas, Munições e Explosivos (Desarme) na comunidade da Sefa, em Ramos, na Zona Norte do Rio. Mugão era acusado de integrar o grupo de matadores de aluguel Escritório do Crime.

Mugão, ex-cabo da Polícia Militar, foi baleado durante a ação, que faz parte da Força-tarefa das delegacias especializadas no combate às milícias. Segundo informações da Polícia Civil, o criminoso efetuou disparos de arma de fogo contra os policiais, mas acabou baleado. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.

Com Mugão foram apreendidos uma pistola, um revólver e uma mochila com anotações sobre cobranças de aluguéis. O criminoso estava foragido desde junho do ano passado, quando a Polícia Civil e o Ministério Público realizaram a Operação Tânatos, que tinha Mugão como um dos alvos.

De acordo com as investigações, Mugão e seus comparsas tinham estreita ligação com o ex-capitão da PM Adriano Magalhães da Nóbrega, morto em confronto com a polícia da Bahia em fevereiro do ano passado. O grupo chegou a ser investigado pelo atentado contra a vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.