Ex-policial sul-africana é condenada à prisão pérpetua após assassinato de familiares

·1 min de leitura
Ex-policial da África do Sul foi condenado a seis sentenças de prisão perpétua e a outros 95 anos de prisão (AFP/Emmanuel Croset)

Uma ex-policial sul-africana foi condenada na sexta-feira (5) em seis processos que pediam prisão perpétua por ter matado seu namorado e cinco membros de sua família para obter seguro de vida, após um julgamento que deixou a África do Sul espantada.

Rosemary Ndlovu, 46, foi considerada culpada no mês passado pelo assassinato de seu primo, sua irmã, seu namorado, sua sobrinha, seu sobrinho e outro parente entre 2012 e 2017, atirando, espancando ou estrangulando.

O tribunal também a considerou culpada de tentar matar sua mãe, irmã e seus cinco filhos.

Além das seis sentenças de prisão perpétua por homicídio, o juiz acrescentou 95 anos por incitação ao homicídio, tentativa de homicídio e fraude no seguro.

“Na prática, os anos de prisão equivalem a prisão perpétua”, disse o juiz Ramarumo Monama.

Grande parte do julgamento foi transmitido ao vivo na África do Sul, onde os detalhes horríveis chocaram o país, onde as audiências de crimes são registrados.

O sangue frio da mulher diante das horríveis acusações contribuiu para o desconforto.

A acusada teria feito seguro de vida e sepultamento em nome de suas vítimas e, posteriormente, reivindicado o dinheiro após sua morte. No entanto, ela sempre negou as acusações.

gs/cl/blb/pc/eg/gf

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos