Ex-premier italiano Matteo Renzi abandona PD e criará novo partido

(Arquivo) Matteo Renzi durante coletiva de imprensa, em Roma

O ex-primeiro-ministro italiano Matteo Renzi anunciou que vai abandonar o Partido Democrata (PD) e criará sua própria formação.

"Decidi abandonar o PD e construir junto a outras pessoas uma nova casa para fazer política de maneira diferente", escreveu Renzi no Facebook, apenas uma semana depois da formação de um novo governo de coalizão entre o PD e o Movimento 5 Estrelas (M5E, antissistema).

Renzi ficou de fora do novo governo, uma coalizão que frustrou a tentativa do líder da extrema-direita e ex-ministro do Interior, Matteo Salvini, de convocar eleições antecipadas.

Renzi, que em 2014 se tornou o primeiro-ministro mais jovem da Itália aos 39 anos, era uma figura polêmica dentro do PD, sobretudo para a ala mais à esquerda, fiel ao líder do partido Nicolas Zingaretti.

"Depois de sete anos de fogo amigo, acredito que temos que perceber que nossos valores, nossas ideias, nossos sonhos não podem ser objeto diário de lutas internas", escreveu Renzi.