Ex-presidente da Costa do Marfim poderá sair da Bélgica sob condições (TPI)

(ARQUIVO) Foto de 15 de janeiro de 2019. O ex-presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, entra na sala do Tribunal Penal Internacional em Haia. O TPI informou em 28 de maio de 2020, que Gbagbo pode deixar a Bélgica sob condições.

O Tribunal Penal Internacional (TPI) anunciou nesta quinta-feira (28) que autoriza, sob condições, que o ex-presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, saia da Bélgica, onde se encontrava em liberdade condicional desde que foi absolvido em 2019 de acusações de crimes contra a humanidade.

Todo o país que Gbagbo desejar viajar deverá aceitar previamente sua entrada no território, informou um porta-voz da corte com sede em Haia. O tribunal, não entanto, rejeitou o pedido de liberdade plena apresentada em fevereiro pelo ex-chefe de Estado.

Depois de permanecer detido por mais de sete anos aguardando uma decisão judicial, Laurent Gbagbo foi considerado inocente de crimes cometidos entre 2010 e 2011, durante uma série de atos violentos pós-eleitorais na Costa do Marfim.

Gbabgo e Charles Blé Goudé, ex-chefe do Jovens Patriotas da Costa do Marfim, também detido, foram libertados sob condições, incluindo a obrigação de residir em um estado membro do TPI disposto a acolhê-los, enquanto aguardam julgamento.

Desde então, Gbagbo vive em Bruxelas, enquanto Blé Goudé permanece em Haia.