Ex-presidente da Geórgia volta para prisão após internação por greve de fome

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Ex-presidente e líder opositor da Geórgia Mikheil Saakashvili (AFP/Irakli Gedenidze)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ex-presidente e líder da oposição da Geórgia Mikheil Saakashvili voltou para a prisão, nesta quinta-feira (30), deixando o hospital militar para onde havia sido transferido após uma longa greve de fome - informou o serviço penitenciário do país.

Preso em 1º de outubro ao retornar de oito anos de exílio na Ucrânia, Saakashvili se recusou a se alimentar por 50 dias em protesto contra sua prisão. Foi condenado por abuso de poder, acusação que denuncia como política.

Saakashvili, um político pró-ocidental de 54 anos, que liderou este país do Cáucaso entre 2004 e 2013, voltou a comer, depois de ser internado no final de novembro em um hospital militar em Gori (leste).

"O detido Mikheil Saakashvili está no estabelecimento penitenciário número 12", informou o departamento responsável, nesta quinta-feira, ao anunciar seu retorno para a prisão de Rustavi, a 30 quilômetros da capital nacional, Tbilisi.

David Sergeenko, deputado do partido governista Sonho Georgiano, garantiu à imprensa que, segundo o hospital militar, o estado de saúde do ex-presidente "se estabilizou".

za-emg/mp/ia/dbh/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos