Ex-presidente egípcio Hosni Mubarak ganha liberdade

(2016) Mubarak cumprimenta simpatizantes da janela do hospital militar Maadi, no Cairo

O ex-presidente egípcio Hosni Mubarak deixou nesta sexta-feira o hospital militar no qual passou boa parte de seus seis anos de detenção, informou seu advogado.

"Sim", deixou o hospital, confirmou Farid al-Dib à AFP.

No início do mês, a justiça egípcia autorizou a libertação de Mubarak, de 88 anos, após uma última sentença que o absolveu da morte de manifestantes durante os protestos de 2011 que o obrigaram a abandonar o poder.

Em 18 dias de revolta, quase 850 pessoas morreram em confrontos entre a polícia e os manifestantes.

O ex-presidente foi condenado à prisão perpétua em 2012, mas um tribunal de apelação ordenou um novo julgamento dois anos depois, quando as acusações foram retiradas e a principal instância de apelação do país o absolveu em 2 de março.

Em janeiro de 2016, a corte havia confirmado a sentença de três anos para Mubarak e seus dois filhos por acusações de corrupção, mas a condenação levou em consideração o tempo que já haviam passado na prisão, o que deixou Alaa e Gamal em liberdade.

Na quinta-feira, um tribunal ordenou uma nova investigação para esclarecer se o ex-presidente recebeu presentes do jornal estatal Al-Ahram.

Atualmente, vários dos principais ativistas da revolta de 2011 estão na prisão, cumprindo longas penas. Os grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que centenas estão desaparecidos.