Ex-presidente peruano Alberto Fujimori se recupera de cirurgia cardíaca

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
O ex-presidente peruano Alberto Fujimori chega a uma clínica privada em Lima, em 4 de outubro de 2021 (AFP/ERNESTO BENAVIDES)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O octogenário ex-presidente peruano Alberto Fujimori se recupera na noite desta segunda-feira (4) de uma intervenção surpresa no coração por meio de um cateterismo, disse sua filha mais velha e herdeira política Keiko Fujimori.

“Meu pai finalizou uma intervenção, ele fez um cateterismo e um stent foi colocado”, acrescentou a filha em declarações a jornalistas fora da clínica El Golf.

Segundo Keiko Fujimori, durante a intervenção, que durou cerca de 50 minutos, "verificou-se que uma das artérias apresentava obstrução em 70%, por isso foi necessária a colocação do stent".

Alberto Fujimori, 83, encontra-se agora na unidade de terapia intensiva da clínica, onde uma junta médica acompanha seu progresso antes de decidir quando dar alta para que, eventualmente, volte à prisão.

Seu médico, Alejandro Aguinaga, havia informado à AFP que o ex-presidente teve que se submeter a uma "cirurgia cardíaca, uma operação para sua idade", após sofrer uma taquicardia incontrolável no domingo.

O ex-presidente peruano, de origem japonesa, foi transferido na noite de sexta-feira em caráter de urgência da prisão em uma base policial de Lima para esta clínica depois que médicos do presídio lhe administraram oxigênio.

Fujimori, que comandou os destinos do Peru entre 1990 e 2000, foi internado com problemas respiratórios ligados a uma fibrilação auricular que o acomete desde 2018.

AO visitá-lo na clínica, Keiko Fujimori disse que "o estado (de saúde) do meu pai é delicado. Seu problema cardíaco se agravou".

O problema de saúde de Fujimori ocorre depois que o governo peruano anunciou a intenção de mudá-lo de prisão por considerar que está em uma "gaiola dourada".

Fujimori cumpre pena de 25 anos por crimes contra a humanidade e corrupção pelos massacres em Barrios Altos (1991) e La Cantuta (1992), onde um esquadrão da morte do exército matou 25 pessoas - entre elas uma criança - em uma suposta operação antiterrorista quando ele era presidente.

Preso desde 2007, tem sofrido recorrentemente de problemas respiratórios e neurológicos (paralisia facial) e hipertensão. Em março, foi internado com problemas respiratórios.

Um tribunal peruano tinha considerado infundado em maio de 2020 um recurso da família pedindo sua libertação devido ao risco de contrair covid-19. A resolução ressaltou que Fujimori é o único recluso na base policial, descartando o risco de superlotação e contágio, como ocorre em outros presídios do país.

ljc/yow/mvv/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos