Ex-presidente sul-africano Zuma pode sair da prisão em 4 meses, diz ministro da Justiça

·1 minuto de leitura
Ex-presidente da África do Sul Jacob Zuma fala a apoiadores em Pietermaritzburg

JOHANESBURGO (Reuters) - Jacob Zuma, ex-presidente da África do Sul que está sob detenção policial desde a noite de quarta-feira para iniciar uma pena de prisão de 15 meses por desacato, poderá sair sob condicional depois de cerca de quatro meses, disse o ministro da Justiça.

Zuma se entregou à polícia para começar a cumprir sua pena por desafiar uma ordem judicial que o obrigava a comparecer a um inquérito sobre corrupção quando estava no poder, de 2009 a 2018.

A capacidade das autoridades de responsabilizar Zuma é vista como um grande teste do Estado de Direito na África do Sul pós-Apartheid.

Zuma será mantido isolado durante 14 dias devido aos protocolos da Covid-19, disse o ministro da Justiça, Ronald Lamola, nesta quinta-feira.

"Este não é um momento de comemoração ou triunfalismo, é um momento de comedimento e de ser humano", afirmou ele, prometendo tratar Zuma como qualquer outro prisioneiro.

Zuma foi recebido de madrugada no Centro Correcional de Estcourt, localizado a cerca de 175 quilômetros de sua propriedade rural em Nkandla, no leste do país.

O ex-presidente nega que houve corrupção generalizada em seu governo, e até agora não cooperou com o processo legal do qual é alvo, insistindo que é vitima de uma caça às bruxas política.

(Por Wendell Roelf)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos