Ex-presidentes dos EUA, Trump e Obama, prestam homenagem ao Príncipe Philip

·1 minuto de leitura
O príncipe Philip, em 22 de julho de 2020, no castelo de Windsor, Reino Unido

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (9) que a morte do príncipe Philip foi uma perda "insubstituível" para o Reino Unido, enquanto Barack Obama saudou a partida, aos 99 anos, de um homem que "mostrou ao mundo como ser um marido solidário".

"O mundo está de luto pelo falecimento do príncipe Philip, um homem que encarna a alma nobre e o espírito orgulhoso do Reino Unido e da Commonwealth", disse Trump em um comunicado.

"Esta é uma perda insubstituível para o Reino Unido e para todos aqueles que prezam nossa civilização", disse ele.

"O príncipe Philip definiu a dignidade e a graça britânicas. Ele personificou a reserva tranquila, a firmeza severa e a integridade inabalável do Reino Unido".

No Facebook, o ex-presidente Barack Obama elogiou Philip, que morreu na sexta-feira aos 99 anos, como alguém que assumiu com abnegação seu papel de marido da rainha.

"Ao lado da rainha ou a seguindo nos habituais dois passos atrás, o Príncipe Philip mostrou ao mundo o que significa ser um marido que apoia uma mulher poderosa", afirmou.

Relembrando o primeiro encontro dele e de sua esposa Michelle Obama com o casal real britânico, ele disse que Philip "em particular foi gentil e caloroso, com uma inteligência aguda e um bom humor infalível".

“Sentiremos muita falta dele”, escreveu Obama.

Anteriormente, o presidente Joe Biden prestou homenagem ao Príncipe Philip como um servo abnegado do Reino Unido e seu povo.

"Desde o seu serviço durante a Segunda Guerra Mundial, aos seus 73 anos ao lado da Rainha e toda a sua vida no cena pública, o Príncipe Philip dedicou-se de com gosto ao povo do Reino Unido, à Commonwealth e à sua família", disse Biden em um comunicado.

pmh/dw/mps/yo