EI reivindica atentado suicida perto do Palácio Presidencial de Cabul

Cairo, 12 abr (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta quarta-feira, através da agência de notícias "Amaq", um atentado suicida contra o Palácio Presidencial de Cabul, que deixou pelo menos cinco civis mortos, segundo fontes oficiais afegãs.

Um breve comunicado divulgado na internet pela agência filiada aos extremistas informou sobre um ataque suicida perpetrado com um cinturão de explosivos contra o "posto de controle" junto ao edifício da Presidência da República em Cabul.

A "Amaq" não especificou a identidade do agressor e nem se este pertencia ao EI, mas a agência costuma informar sobre as ações desta organização terrorista em todos os países onde tem presença, desde o norte de África até a Ásia Central.

Já um porta-voz do Ministério afegão de Interior, Najib Danish, disse à Agência Efe que pelo menos cinco pessoas perderam a vida, todas elas civis, mas não pôde precisar o número de feridos.

A detonação ocorreu por volta das 16h local (8h30, em Brasília) em uma zona de alta segurança do centro da capital afegã, palco em setembro de um duplo atentado que causou a morte de 26 pessoas, entre eles dois generais.

O ataque de hoje aconteceu a poucos metros do escritório de Assuntos Administrativos da Presidência, que está localizado a 400 metros do Ministério de Defesa afegão.

Vários atentados atingiram Cabul neste ano, o último de grande magnitude no começo de março, quando um grupo de suicidas, presumivelmente membros do EI, atacaram o principal hospital militar da cidade, deixando 35 mortos e 53 feridos. EFE