Ex-senador Romero Jucá é alvo de operação que apura pagamento de propina em contratos que somam meio bilhão de reais

O ex-senador Romero Jucá (MDB- RR) foi alvo, nesta quarta-feira (23), de uma operação da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União (CGU) que investiga um suposto esquema de desvios em convênios da União com municípios de Roraima, estado do ex-parlamentar. De acordo com a PF, foram identificadas irregularidades em contratos que somam R$ 500 milhões e, nesta manhã, estão sendo cumpridos 22 mandados de busca e apreensão.

Após reclusão: Bolsonaro volta ao Palácio do Planalto depois de 20 dias

Eleito ao Senado: Parecer técnico do TRE-PR sugere desaprovação das contas de campanha de Moro

As fraudes teriam sido praticadas em convênios fechados entre 2012 e 2017, ocasião em que Romero Jucá era líder do governo. Segundo a PF, o suposto esquema funcionava da seguinte maneira: o então senador destinava emendas parlamentares a municípios de Roraima. As prefeituras desses locais contratavam empresas ligadas a ele para executar as obras. Essas firmas pagariam suborno ao ex-congressista em troca dos contratos fechados.

As investigações mostram ainda que foram desembolsados R$ 15 milhões em propinas a Jucá e outros funcionários públicos. "Três empresas de engenharia pagariam propinas, que seriam distribuídas a servidores públicos que auxiliariam na prática dos crimes e a um ex-senador que teria participação no esquema", informa a PF.

De acordo com a PF, Jucá “interferiria em assuntos relacionados a convênios nos quais houvesse a aplicação de verbas federais viabilizadas por ele, havendo evidências, inclusive, do ‘travamento’ de pagamentos de verbas oriundas de emendas parlamentares de sua autoria caso não houvesse o pagamento de propinas”.

Os principais crimes investigados apurados são os de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O inquérito foi iniciado a partir do Relatório de Produção de Conhecimento do Tribunal de Contas da União (TCU), que identificou as empresas que mais receberam recursos do Programa Calha Norte no estado de Roraima.

Romero Jucá disputou uma vaga no Senado por Roraima nas eleições deste ano, mas não conseguiu se eleger.