Ex-templo do luxo, Daslu vai a leilão nesta terça com lance inicial de R$ 1,4 milhão

A Daslu, ícone varejista que por décadas representou o mais alto luxo da moda brasileira, vai a leilão nesta terça-feira. O templo fashion amarga hoje a derrocada de seu império em meio a escândalos de sonegação fiscal, formação de quadrilha e outras acusações. De acordo com o site da casa de leilões Sodré Santoro, responsável pelo certame, o lance inicial é de R$ 1.411.022. O valor será usado para pagar os custos do processo de falência da marca.

Especialistas avaliam: Legado como ícone da alta moda no Brasil

US$ 195 milhões: Retrato de Marilyn Monroe bate recorde de Picasso em leilão

“Diego y yo”: Pintura de Frida Kahlo é arrematada por US$ 35 milhões e se torna mais valiosa obra latino-americana vendida em leilão

A multimarcas paulistana foi fundada na década de 1950 pelas socialites Lucia Piva Albuquerque e Lourdes Aranha. Ambas reuniam amigas da nata paulistana para mostrar roupas exclusivas em uma casa na Vila Nova Conceição, região nobre da capital.

Foi nos anos 1990, já sob o comando de Eliana Tranchesi, que assumiu o negócio após a morte da sua mãe Lucia, que vieram as marcas internacionais. A Daslu foi uma das principais pioneiras nesse movimento quando até então só se tinha acesso a estes produtos em viagens ao exterior.

O império foi crescendo até que em 2005 a Polícia Federal deflagrou a Operação Narciso, em que ficou provado que havia um esquema de sonegação fiscal na Daslu, na qual a empresa não emitia notas fiscais para venda de mercadorias, falsificava documentos e subfaturava notas.

Pesquisa: Quase metade das famílias brasileiras precisaram ajustar orçamento para não perder plano de saúde

Naquele mesmo ano, a dona da marca, a empresária Eliana Tranchesi, seu irmão Antonio Carlos Piva de Albuquerque, que era diretor financeiro na época, e outros diretores foram condenados. Os irmãos não chegaram a cumprir a pena estipulada de 94 anos.

Eliana ficou presa por 12 horas, mas foi liberada no dia seguinte, pois passava por um tratamento de câncer, doença da qual faleceu em 2012. Depois disso, o caso dela foi encerrado. Já seu irmão ficou foragido até semana passada, quando foi preso. Agora, terá que cumprir pena de 7 anos e 8 meses de prisão, em regime fechado, por crimes contra a ordem tributária.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos