Ex-vereador Gabriel Monteiro é preso acusado de estupro

O ex-vereador e youtuber Gabriel Monteiro foi preso, nesta segunda-feira, quase três meses depois de perder o mandato por quebra de decoro parlamentar. Ele é acusado de estuprar e agredir uma mulher na casa de um amigo no Joá. A denúncia corre em sigilo de Justiça. A decisão partiu do juiz da 34ª Vara Criminal do Rio, Rudi Baldi Loewnckron, conforme antecipou o colunista Ancelmo Gois.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Rio à Justiça no fim de outubro, a mulher afirmou que Gabriel a forçou a manter relações sexuais depois de lhe apontar uma arma na casa de um amigo do ex-vereador, no Joá. O youtuber também teria tentado filmar a relação sexual, mas o celular estava descarregado.

O ex-vereador teria se recusado a usar preservativo, segundo a denúncia. A mulher, por causa disso, diz que acabou contraindo HPV, uma DST (Doença Sexualmente Transmissível). Laudo médico realizado após o episódio confirmaram que a vítima tinha lesões na genitália.

A mulher conta que conheceu Gabriel na festa de reabertura de uma boate na Barra da Tijuca. Depois de se beijarem e trocarem carícias na boate, os dois seguiram para a casa desse amigo do ex-vereador. No imóvel, a mulher foi levada por Gabriel até um quarto. Ao tentar deixar o cômodo, Gabriel trancou a porta, retirou a arma da cintura e, com ela, acariciou o rosto da vítima.

"O denunciado a empurrou de forma violenta sobre a cama e começou a ter relação sexual de forma violenta, mesmo sem preservativo, mesmo após os apelos da vítima para que não mantivesse relações sem camisinha’", diz um trecho da denúncia.

Durante a relação, a vítima teria levado vários tapas no rosto, enquanto era obrigada a responder peguntas do ex-PM. Em um dos momentos, ele questionou se ela também manteria relações sexuais com um dos seguranças. Levou tapas ao responder afirmativamente e negativamente.

Segundo a denúncia, o estupro teria ocorrido na madrugada de 15 de julho, quando o youtuber ainda era vereador. Na ocasião, o Conselho de Ética já havia encerrado a tomada de depoimentos de testemunhas de defesa e de acusação no processo contra o político. Gabriel respondeu por quebra de decoro por ter filmado relações sexuais com uma adolescente de 15 anos e por expor duas crianças em situação de vulnerabilidade em produções que faz para suas redes sociais. Gabriel também era acusado de agressão a um morador de rua cometida por seu segurança durante uma dessas filmagens, segundo relatório do vereador Chico Alencar (PSOL).

Mais cedo, o advogado de Gabriel Monteiro disse desconhecer a acusação.

— Desconheço essa acusação de estupro . Até o momento Gabriel Monteiro não foi chamado para prestar qualquer esclarecimento sobre esses os fatos — disse Sandro Figueiredo.