Exame de contraprova em adolescente dá positivo para coronavírus, mas governo diz que caso não entrará na lista

NATÁLIA CANCIAN
***ARQUIVO*** GUARULHOS, SP, 26.02.2020 - Passageiros e funcionários usam máscaras de proteção no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, após primeiro caso do coronavírus no Brasil. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O resultado do teste de contraprova de uma adolescente que vive em São Paulo deu positivo para o novo coronavírus, informou nesta quinta-feira (5) o Ministério da Saúde.

O governo, porém, afirma que o registro não deve entrar na lista de confirmados por não se enquadrar na definição de caso do covid-19.

Em nota, o Ministério da Saúde informa que estuda uma infecção assintomática pelo coronavírus. A pasta qualifica a situação como atípica.

Com isso, o Brasil permanece com três casos confirmados. Outras 531 suspeitas estão em investigação, enquanto 315 casos já foram descartados.

O caso estava em investigação desde quarta (4). Trata-se de uma adolescente de 13 anos que esteve na Itália. Lá, ela passou por Milão e depois pela região de Dolomitas, onde ficou internada em um hospital por causa de uma lesão no joelho.

O retorno ao Brasil ocorreu no domingo (1º). Na segunda (2), ela esteve no hospital Beneficência Portuguesa, onde coletou amostras para exames.

Um primeiro teste, feito pelo laboratório Fleury, deu positivo para o vírus. Exame de contraprova feito pelo instituto Adolfo Lutz confirmou a análise.