Excepcional diamante rosa russo vai a leilão em Genebra

·2 minuto de leitura
O diamante rosa “The Spirit of the Rose” que será leiloado
O diamante rosa “The Spirit of the Rose” que será leiloado

Uma pedra rosa excepcional do tamanho de uma bola de gude, do maior diamante bruto rosa já descoberto na Rússia, será leiloada em Genebra em 11 de novembro pela Sotheby's, que estima seu valor entre US$ 23 milhões e US$ 38 milhões.

Batizado de "The Spirit of the Rose" em homenagem à famosa criação "Le Spectre de la rose" do Balé Russo, é em sua categoria (rosa-púrpura vivo) o maior já leiloado.

Este diamante, "inteiramente puro", é excepcional por seu tamanho - 14,83 quilates - e sua cor - púrpura e rosa, explica Benoit Repellin, diretor de vendas da Haute Joaillerie da Sotheby's em Genebra, durante a apresentação da pedra à AFP. 

De forma oval, mede 1,7 cm de comprimento e 1,27 cm de largura. Sua origem também é excepcional. 

Foi extraído e cortado de um diamante bruto de 27,85 quilates - o maior diamante bruto rosa já encontrado na Rússia.

Descoberto na República de Sakha (Yakutia) no nordeste da Sibéria em 2017 pelo grupo russo Alrosa, levou um ano de trabalho meticuloso para ser cortado até chegar a sua bela forma oval, preservando sua cor brilhante, diz Repellin.

Seu preço também é impressionante, estimado entre US$ 23 milhões e US$ 38 milhões. Isso representa até US$ 2,56 milhões por quilate, um preço muito próximo ao recorde de US$ 2,6 milhões por quilate estabelecido há dois anos em Genebra pelo Pink Legacy.

Os diamantes rosa são os mais raros e mais cobiçados do mercado mundial. 

O recorde absoluto para o diamante rosa mais caro já vendido em leilão é detido pelo CTF Star Pink, que foi vendido por US$ 71,2 milhões em 2017 em Hong Kong. E cinco dos dez diamantes mais caros já leiloados são rosa.

Todos eles foram vendidos na última década, que viu os preços desses tesouros naturais crescerem exponencialmente.

A venda desse diamante ocorre poucos dias após o fechamento da maior mina de diamantes rosa do mundo, localizada na Austrália.

Este depósito, que até recentemente fornecia mais de 90% do suprimento mundial de diamantes rosa, está realmente esgotado. 

O fechamento desta mina (Argyle) deve ter um efeito de alavanca no preço, no interesse e na atração dos diamantes rosa, de acordo com a Sotheby's.

Além disso, observa Benoît Repellin, "nestes tempos particulares", de crise ligada à pandemia de covid-19, "há apetite para investir em pedras excepcionais".

apo/vog/mr/tt