EXCLUSIVO-Consórcio de Talos e Enauta faz oferta à Petrobras por campos de Albacora, dizem fontes

Gram Slattery e Marta Nogueira
·2 minuto de leitura
Logo da Petrobras no edifício-sede da companhia no Rio de Janeiro

Por Gram Slattery e Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um consórcio entre Talos Energy, EIG Global Energy Partners, Enauta e 3R Petroleum Óleo e Gás apresentou oferta não vinculante pelos campos de Albacora e Albacora Leste, da Petrobras, disseram à Reuters quatro fontes familiarizadas com o assunto.

O valor exato da proposta não estava claro, embora o ativo provavelmente chegue a bilhões de dólares, disseram duas das fontes, que pediram anonimato para discutir assuntos confidenciais. A oferta foi oficialmente apresentada na segunda-feira, disse uma das fontes.

As propostas pelos dois campos, que são responsáveis pela produção de 77 mil barris de óleo equivalente por dia, de acordo com documentos divulgados pela Petrobras, acontecem em um momento em que a estatal busca reduzir dívida rapidamente com a venda de ativos não essenciais.

A Petrobras vem vendendo dezenas de campos de pequeno e médio portes nos últimos dois anos.

Mas o desinvestimento em Albacora seria o maior desde 2017, quando a empresa concordou em vender uma participação em seu campo de Roncador para a norueguesa Equinor por 2,9 bilhões de dólares.

A entrada na disputa marca uma mudança de estratégia para a Talos, que atua apenas no Golfo do México.

Nos últimos anos, a Talos tem tentado negociar um chamado acordo de unitização com a empresa petrolífera nacional mexicana Pemex sobre a descoberta offshore de Zama que a empresa sediada em Houston anunciou em 2017. A Pemex afirma que a maior parte do depósito de quase 700 milhões de barris está em seu campo adjacente e as negociações provaram ser uma dor de cabeça duradoura para a Talos.

Petrobras, EIG, Enauta e 3R não comentaram. Talos não respondeu a um pedido de comentário.

Tanto a EIG, sediada em Washington, quanto a brasileira Enauta, disseram anteriormente que estavam procurando usar o poder de fogo resultante da arrecadação com recentes desinvestimentos para fazer aquisições no Brasil, incluindo ativos de produção.

Provavelmente há outros interessados que podem apresentar ofertas pelos campos de petróleo, disseram duas das fontes.

Entre as empresas que manifestaram publicamente seu interesse em Albacora e Albacora Leste está a Petro Rio, sediada no Rio de Janeiro. A Petro Rio não respondeu a um pedido de comentário.

A Aker BP, que atualmente possui operações apenas na Noruega, examinou o ativo, mas decidiu não fazer uma proposta, disse o presidente-executivo da empresa à Reuters na semana passada.

Durante a próxima etapa do processo de desinvestimento, as partes interessadas apresentarão ofertas vinculantes. Geralmente, há um intervalo de várias semanas entre as ofertas não vinculantes e as vinculantes durante os processos de venda da Petrobras.

(Por Gram Slattery e Marta Nogueira, no Rio de Janeiro; Reportagem adicional de David Alire Garcia na Cidade do México)