Ex-deputado federal recolhe frutas de oferenda e distribui a ambulantes

Wladimir sempre foi polêmico (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Conhecido como o “deputado da tatuagem de Temer”, o ex-deputado federal Wladimir Costa, condenado por abuso de poder econômico e gastos ilícitos nas eleições de 2014, envolveu-se em mais um episódio bizarro no Dia de Finados, em Belém: distribuiu entre vendedores ambulantes frutas que ele mesmo recolheu de uma oferenda em uma encruzilhada próxima à Avenida Centenário.

Um vídeo de pouco mais de cinco minutos e meio, filmado pelo próprio Wladimir Costa, registra o momento em que o ex-deputado encontra a cesta com frutas e flores, retira do local e a leva, de carro, para distribuir aos ambulantes que se encontram na Avenida Duque de Caxias, a pouco mais de 6 km de onde a oferenda foi retirada. O próprio Wladimir Costa postou um trecho de aproximadamente três minutos em sua conta pessoal no Facebook.

Leia também

Afirmando ter comprado as frutas no Mercado Central, Wlad, como é conhecido desde os tempos de radialista e vocalista de uma banda de brega, é recebido com simpatia pelos trabalhadores, com os quais conversa animadamente antes de ir embora.

Histórico de bizarrices e cassação de mandato

Wladimir Costa, também conhecido com Wlad, protagonizou diversos episódios grotescos durante sua passagem por Brasília, onde exerceu quatro mandatos como deputado federal. Além da famosa tatuagem, que revelou ser falsa alguns dias depois, ele comemorou o impeachment de Dilma Rousseff - pelo qual votou a favor envolto em uma bandeira do Pará - disparando um rojão de confetes.

Em 2016 e 2017, Wladimir Costa teve dois pedidos de cassação do mandato de deputado federal por uso de caixa 2, abuso de poder econômico e gastos ilícitos na campanha para as eleições de 2014. Ele recorreu e conseguiu manter-se na Câmara, mas teve a candidatura ao Senado barrada em 2018 pela Lei da Ficha Limpa. Ele teria a própria mãe, Lucimar da Costa Rabelo, a "Nega Lucimar", como suplente.

.

Parlamentar mais faltoso em 2015, Wladimir Costa também foi flagrado em conversas íntimas ao celular com uma mulher a qual pedia para mandar nudes durante uma sessão da Câmara em 2017

.