Executivos de privacidade e segurança do Twitter pedem demissão

Executivos de privacidade e segurança do Twitter pedem demissão (AP Foto/Jeff Chiu, Archivo)
Executivos de privacidade e segurança do Twitter pedem demissão (AP Foto/Jeff Chiu, Archivo)
  • Os pedidos de demissões ocorrem após Elon Musk ter assumido o controle do Twitter;

  • A diretora de segurança da informação, o diretor de privacidade e a diretora de conformidade se demitiram;

  • Os engenheiros da empresa agora serão responsáveis ​​por garantir a conformidade com os regulamentos.

Os desligamentos e os pedidos de demissões no Twitter seguem a pleno vapor após o bilionário Elon Musk ter assumido o controle da rede social. Desta vez, a diretora de segurança da informação Lea Kissner, o diretor de privacidade Damien Kieran e a diretora de conformidade Marianne Fogarty se demitiram, de acordo com uma publicação do The Verge.

A reportagem sugere que os engenheiros da empresa agora serão responsáveis ​​por garantir a conformidade com os regulamentos. O Twitter está atualmente sujeito a uma ordem de consentimento do órgão americano que protege os direitos dos consumidores, a Federal Trade Commission (FTC), que inclui certos requisitos de privacidade e segurança.

Tomei a difícil decisão de deixar o Twitter", escreveu Kissner em um tweet. "Tive a oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis e estou muito orgulhoso das equipes de privacidade, segurança e TI e do trabalho que fizemos."

As saídas certamente terão um impacto significativo nas equipes de segurança e privacidade do Twitter. Para esse fim, o The Verge obteve uma mensagem do Slack supostamente compartilhada por um advogado do Twitter, que observa que os engenheiros foram solicitados a "autocertificar" que estão cumprindo os requisitos da FTC e outras leis.

“Isso colocará uma enorme quantidade de risco pessoal, profissional e legal para os engenheiros”, diz a mensagem. "Antecipo que todos vocês serão pressionados pela administração a promover mudanças que provavelmente levarão a grandes incidentes".

O advogado, que incentivou os trabalhadores a buscar proteção aos denunciantes se sentirem necessidade, alertou que tais mudanças são “extremamente perigosas para nossos usuários”.

A ordem de consentimento da FTC faz parte de um acordo que o Twitter alcançou com a agência em maio. Uma das condições exige que a empresa empregue um "programa abrangente de privacidade e segurança da informação" para examinar novos produtos quanto a riscos de privacidade e segurança. O advogado observou que, se o Twitter violar a ordem de consentimento, poderá estar sujeito a "bilhões de dólares" em multas, o que seria "extremamente prejudicial à longevidade do Twitter como plataforma".