Coronavírus: como cuidar do corpo e da mente na quarentena com aplicativos e vídeos

Talita Duvanel
Exercícios em casa

Acostume-se: exercícios físicos em ambientes fechados estão vetados da rotina pelas próximas semanas por causa da pandemia de Covid-19, a infecção causada pelo novo coronavírus. A orientação das autoridades de saúde do mundo inteiro é evitar aglomerações, principalmente em lugares com pouca circulação de ar, descrição que casa perfeitamente com a já saudosa academia.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

“Essa é uma infecção respiratória e, como qualquer outra desse tipo, a transmissão é muito fácil. Uma academia é um ambiente geralmente sem janela, com ar-condicionado e com pessoas arfando, ou seja, liberando gotículas de saliva pela boca. Nesse momento, precisamos nos perguntar com bom senso em todas as situações: há necessidade mesmo de estar nesse lugar?”, diz o virologista Flávio da Fonseca, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Leia também:

Quando se trata de academia, a resposta à pergunta do virologista é simples: não precisamos, o que não quer dizer que devemos parar de nos exercitar. “Todas as doenças crônicas prévias, como depressão, ansiedade, hipertensão e diabetes, vão continuar existindo”, diz o ortopedista Gustavo Asmar, especialista em trauma do esporte. “Mexer-se dentro de casa já ajuda nessas questões.”

Mas não precisa morar numa mansão para organizar uma rotina de treinos. Por menor que seja a casa ou apartamento, sempre dá para achar uma solução. “Exercícios simples como agachar (sentando e levantando de uma cadeira), subir degraus e tentar se equilibrar num pé só (sempre com apoio próximo para prevenir quedas) podem ser bastante positivos, principalmente para idosos”, diz Gustavo.

Isso acaba sendo pouco para a turma mais experiente na maromba, que pode, no entanto, lançar mão da tecnologia para incrementar os treinos. Muitos são os tipos de aplicativos, com versões gratuitas, mas a maioria paga, para quem tem material em casa ou vai apenas usar o peso do próprio corpo. Os melhores, diz Eduardo Netto, professor de Educação Física e diretor-técnico das academias Bodytech, são aqueles cujo algoritmo faz uma “entrevista” com o usuário, perguntando informações como idade, peso, objetivo, lesões existentes e grau de condicionamento.

“É diferente de pegar um treino no YouTube de uma pessoa saradona e querer copiar. Além de não sabermos quem montou a sequência, há o enorme risco de se machucar”, diz ele, salientando que dá para ter um gasto calórico suficiente para o momento de quarentena. “Por exemplo: se você é uma mulher com cerca de 60kg e começa com uma corrida estacionária, depois vai para a flexão de braço, seguida por agachamento e abdominal, num esquema de circuito, vai gastar em torno de 250 calorias.”

Outra opção muito usada por professores são planilhas via grupos de WhatsApp, várias com custo zero, como a iniciativa dos personal trainers Guilherme Barão e Rafael Cabo. “Queremos que nossos alunos treinem em casa e com custo zero, apesar de sabermos que haverá uma catástrofe no nosso mercado”, diz Guilherme, que divulga treinos diariamente à noite, abre janelas para tirar dúvidas e compartilha vídeos de execução dos movimentos. As inscrições podem ser feitas pelos links da bio dos perfis @guibarao6 e @rafaelcabo no Instagram.

Os iogues também não precisam abandonar o hábito das práticas. Aplicativos ajudam nessa missão, assim como ações iguais às da professora carioca Adriana Camargo, que toda terça e quinta, às 20h, e domingo, às 10h, tem dado aulas ao vivo pelo Instagram, no perfil @adrianacamargo_yoga. É também de graça e as atividades propostas ficam salvas pelas 24 horas seguintes na rede social.

Diante de tanta possibilidade segura, não há desculpa para ficar parado.

OS MELHORES DA REDE

CHICO SALGADO TEAM

Personal trainer de estrelas como Grazi Massafera e Sabrina Sato, Chico montou aulas on-line através da plataforma Coursera. Todas as atividades usam o peso do próprio corpo e têm duração de cerca de 20 minutos. “Há propostas de nível básico, intermediário e avançado”, diz Chico.

ASANA REBEL

Com atividades para corpo e mente, esse app com plano anual e bimestral, oferece exercícios embasados na ioga. Há estratégias para tonificar os músculos, ganhar flexibilidade, perder peso e até meditar. Os vídeos costumam ser bastante elogiados, principalmente por funcionarem off-line.

BT FiT

Em tempos de quarentena, o aplicativo da Bodytech funcionará gratuitamente por 15 dias para qualquer usuário. Nele, programas específicos para abdômen, pernas, emagrecimento e muitos outros, além de um programa de personal trainer on-line que cria atividades personalizadas.

FREELETICS

Com muitos tutoriais em vídeo, esse aplicativo oferece treinos pagos que podem ser feitos em espaços de 2m x 2m. Apesar de ter sido desenvolvido no exterior, foi traduzido para o português e costuma ser indicado para quem tem uma certa experiência com atividades físicas.