'Exército impediu a remoção de acampamento bolsonarista em Brasília', diz Ibaneis

Governador do DF prestou depoimento à Polícia Federal hoje (13)

Governador afastado do DF, Ibaneis Rocha prestou depoimento à Polícia Federal nesta sexta (13) e afirmou que Exército impediu a remoção de acampamento bolsonarista em Brasília. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Governador afastado do DF, Ibaneis Rocha prestou depoimento à Polícia Federal nesta sexta (13) e afirmou que Exército impediu a remoção de acampamento bolsonarista em Brasília. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Governador do DF diz que Exército impediu a remoção de acampamento bolsonarista em Brasília;

  • Segundo Ibaneis Rocha, a retirada tinha sido determinada por ele no dia 29 de dezembro;

  • Em depoimento, afirma que o presidente Lula sabia da recusa por parte do Exército.

O governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse em depoimento à Polícia Federal que o Exército impediu a remoção de um acampamento bolsonarista em frente ao quartel de Brasília.

De acordo com o relato obtido pela CNN, Ibaneis afirmou que determinou a retirada do acampamento no dia 29 de dezembro, há poucos dias da posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Entretanto, o Exército se opôs. O presidente Lula sabia dessa oposição.

O governador ainda disse que a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal era integralmente responsável por fazer a segurança dos atos do dia 8 de janeiro – quando extremistas invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes.

Segundo ele, era a secretaria que recebia as informações da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), não ele. O órgão emitiu diversos alertas sobre o risco eminente de ataque a prédios públicos antes das manifestações – incluindo na véspera do incidente.

Os textos foram distribuídos para todos os integrantes do Sisbin (Sistema Brasileiro de Inteligência), rede que une 48 órgãos em 16 ministérios diversos.

O que aconteceu com Ibaneis?

Após os atos no DF, o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou o afastamento do governador pelo prazo de 90 dias. Ele é acusado de omissão por não conter os extremistas.

A defesa de Ibaneis afirmou em documento enviado ao Supremo que o plano de segurança elaborado para a manifestação de domingo sofreu "atos de sabotagem" das forças de segurança locais e acusa policiais de terem agido com "conivência" e "colaboração" com os manifestantes golpistas e de terem cometido "deserção".

Ibaneis também exonerou o então Secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres. Este teve a prisão decretada por Moraes e a expectativa é de que chegue ao Brasil até sábado para se entregar à PF.

O depoimento do governador foi concedido à polícia na manhã de hoje. Ele entrou pelos fundos da sede da PF em Brasília, acompanhado de dois advogados. O comparecimento de Ibaneis foi um pedido da própria defesa do governador afastado, que se antecipou a uma intimação.