Exonerado por usar avião da FAB para ir à Índia ganha cargo na Secretaria-Geral de Bolsonaro

·1 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro gestures as he speaks during a press conference on a new fuel tax policy at Planalto Palace in Brasilia on February 5, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Filhos de Jair Bolsonaro, Eduardo e Flavio, são amigos de Vicente Santini (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)

Vicente Santini, ex-secretário-adjunto da Casa Civil da Presidência da República, foi exonerado em janeiro de 2020 por usar um voo da Força Aérea Brasileira para ir à Índia. Agora, ele ganhou um novo posto no governo Bolsonaro, o de secretário-executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

Em janeiro de 2020, Santini foi para a Índia para acompanhar a comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que fazia uma viagem oficial ao país. No entanto, usou um avião da FAB, em vez de um voo comercial.

O caso irritou o presidente da República, que o tirou do posto que ocupava e o nomeou para outro cargo na mesma Casa Civil. Horas depois, Bolsonaro mudou de ideia.

Leia também:

Santini é amigo do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e do senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Os filhos do presidente teriam feito um apelo ao pai para que Santini ficasse no governo, mas o presidente voltou atrás.

Após ficar meses sem cargo, em setembro Vicente Santini foi nomeado como assessor do Ministério do Meio Ambiente. Agora, será alocado na Secretaria-Geral da Presidência.