Expectativas para programa britânico de satélites não são reduzidas após fracasso em missão

Espectadores se reúnem para acompanhar lançamento de foguete em Newquay, no Reino Unido

Por Paul Sandle

NEWQUAY, Inglaterra (Reuters) - As expectativas do Reino Unido de se tornar o principal local de lançamento de pequenos satélites permanecem intactas, apesar do fracasso do que teria sido o primeiro lançamento em órbita da Europa Ocidental, disse o ministro britãnico dos Negócios, Grant Shapps, nesta terça-feira.

Horas depois que a missão inovadora de lançar nove satélites terminou quando um foguete Virgin Orbit lançado de um jato jumbo sofreu uma anamolia que o impediu de atingir a órbita, Shapps disse que outra tentativa será realizada.

"O espaço é difícil", disse ele à Sky News. "Não funcionou. Sem dúvida, eles vão se recompor, sacudir a poeira e recomeçar."

O executivo-chefe da Virgin Orbit, Dan Hart, disse em comunicado que o grupo espera retomar as missões assim que uma investigação completa for concluída e avaliada.

O foguete foi lançado com sucesso sobre o oceano Atlântico a partir de um Boeing 747 que decolou de Newquay, no sudoeste da Inglaterra, no que é conhecido como lançamento horizontal. Chamado LauncherOne, o foguete atingiu 17.700 km/h antes de seu sistema falhar. O foguete teria se partido após a falha, disseram especialistas.

O Reino Unido investiu cerca de 20 milhões de libras (24 milhões de dólares) na base e no lançamento, disse o ministro da Ciência, George Freeman, na segunda-feira, enquanto a própria missão foi financiada em grande parte pela Virgin Orbit.

Shapps disse que continua esperançoso com a base de Newquay, bem como outros portos espaciais em potencial no Reino Unido, incluindo um nas Ilhas Shetland, na Escócia, que está sendo projetado para lançamentos verticais de foguetes.

A Virgin Orbit, de propriedade do bilionário britânico Richard Branson, teve quatro missões bem-sucedidas de sua base nos Estados Unidos desde que as iniciou em 2020, e a missão Newquay é seu segundo fracasso.

(Reportagem de Sarah Young e Kylie MacLellan)