Explicação técnica sobre atraso para totalizar votos só será feita nesta segunda, diz Barroso

CONSTANÇA REZENDE E RENATO MACHADO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, afirmou que apenas nesta segunda-feira (16) poderá dar uma explicação técnica para o atraso na totalização dos votos das eleições municipais. O ministro adiantou que houve uma falha em um dos núcleos no super computador que processa a totalização dos votos. "Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi o seguinte: um dos núcleos de processadores do super computador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo", disse o ministro. "Espero amanhã dar a explicação técnica possível", completou. O ministro concedeu uma entrevista coletiva na noite deste domingo (15), em um evento repleto de autoridades. Participaram, além do presidente do TSE, como o vice Edson Fachin, o ministro André Mendonça (Justiça e Segurança Pública), Fernando Azevedo (Defesa), o advogado-geral da União José Levi, o procurador-geral da República Augusto Aras, diretor-geral da Polícia Federal Rolando Alexandre de Souza, Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Renata Gil Em nota no fim da tarde, o tribunal havia informado que a demora na divulgação dos resultados da eleição se devia à lentidão no processo de totalização de votos. "Os dados estão sendo remetidos normalmente pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e recepcionados normalmente pelo banco de totalização, que está somando o conteúdo de forma mais lenta que o previsto. O problema está sendo resolvido pelos técnicos, para a retomada mais célere do processo de divulgação", afirma nota. O TSE afirmou que não havia relação com vazamento de dados pessoais de servidores e nenhuma relação com a tentativa de ataque cibernético, registrada pela manhã.