Homem com distúrbios mentais mata 20 pessoas em templo sufista no Paquistão

Islamabad, 2 abr (EFE).- Um curandeiro mentalmente perturbado matou 20 pessoas e feriu outras três, com a suposta ajuda de vários indivíduos, em um templo sufista no centro do Paquistão, informaram neste domingo à Agência Efe fontes oficiais.

O massacre ocorreu no sábado quando os visitantes ao templo sufista Ali Muhammad Gujjar de Sargodha, na província do Punjab, foram assassinados a facadas e paus por Abdul Waheed, curandeiro ocasionalmente, e vários cúmplices disse à Efe o porta-voz da Polícia da região, Zulfikar Hamid.

Waheed foi matando as vítimas uma em uma ou em pequenos grupos, conforme iam chegando ao templo após havê-los chamado, acrescentou a fonte, a qual disse que entre as vítimas estão cinco membros de uma mesma família.

Um oficial de Polícia da região que pediu o anonimato disse à Efe que os assassinatos aconteceram durante uma cerimônia de purificação e que há indícios de que as vítimas foram drogadas antes de ser assassinadas.

As autoridades foram alertadas dos fatos graças a que três pessoas escaparam do templo e deram o alarme.

Waheed e outras três pessoas foram detidas e estão sendo interrogadas.

O comissário adjunto de Polícia de Sargodha, Liaquat Ali Chatta, declarou à televisão local "Geo" que Waheed sofre de "problemas mentais".

No Paquistão é habitual que se recorra a curandeiros espirituais em templos na busca de cura para doenças mentais ou físicas ou para se desfazer de supostas maldições. EFE