Explosão deixa três feridos em parada LGBTI+ na Região dos Lagos

Três pessoas ficaram feridas na tarde deste domingo após explosão de um cilindro de gás hélio usado nos preparativos da 17ª Parada do Orgulho LGBTI+, em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. As vítimas tiveram queimaduras em diversas partes do corpo e estão fora de perigo, segundo nota divulgada pela prefeitura, creditando as informações ao médico Douglas Portella, plantonista do setor de Trauma do Hospital Municipal São José Operário (HMSJO). Segundo o Corpo de Bombeiros, o evento não tinha autorização da corporação e equipes não foram acionadas após o acidente.

As vítimas foram identificadas como Rodolpho Alves Campbell Siqueira, de 34 anos; Marlon Wagner Guimarães, 20 anos; e John Lennon de Souza, 30 anos. De acordo com boletim médico divulgado pela Prefeitura de Cabo Frio, os três estão conscientes, mas com ferimentos.

Rodolpho Campbell sofreu queimaduras de 2º grau em 45% do corpo e Marlon Guimarães teve 55% do corpo queimado. Ambos foram transferidos para um centro especializado em tratamento de queimados. Já John Lennon de Souza teve queimaduras superficiais em 14% do corpo e não necessitaria de transferência.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as investigações em relação à autorização para uso de cilindros de gás hélio no evento, assim como o que levou à explosão, cabe à Polícia Civil. Questionadas, a Polícia Civil e a Prefeitura ainda não se manifestaram sobre o assunto.

A 17ª Parada LGBTI+ de Cabo Frio acontece neste domingo, na Praia do Forte. A programação conta com a presença da cantora Valesca Popozuda como atração principal do evento, que faz parte da programação de aniversário de 407 anos da cidade.

Apesar do acidente, a prefeitura da cidade afirma que o evento está mantido e acontecerá como previsto.