Colômbia declara estado de calamidade em Mocoa após transbordamento de rios

Bogotá, 1 abr (EFE).- O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou neste sábado que declarará o estado de calamidade na cidade de Mocoa, capital do departamento do Putumayo, onde uma avalanche de água e pedras causou a morte de pelo menos 112 pessoas devido ao transbordamento de rios.

"Vamos fazer um plano de ação com o médico Carlos Ivan Márquez (diretor-geral da União Nacional para a Gestão do Risco de Desastres, UNGRD), com o governo e todas as instituições que estão aqui presentes", disse Santos ao chegar a Mocoa para ver a situação pessoalmente.

A tragédia começou na noite de sexta-feira, quando uma forte chuva aumentou o nível dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos, cujos transbordamentos provocaram uma avalanche de água e pedras que levou tudo o que encontrou pelo caminho.

Ao ser informado, Santos viajou a Mocoa para supervisionar os trabalhos de resgate que estão a cargo das unidades militares nessa região.

Com a declaração do estado de calamidade será possível "atender da melhor forma possível esta situação", declarou Santos.

"Vamos fazer um plano de ação e iniciar todo o processo de ajuda humanitária, vamos atender os feridos, iniciar todo o processo fúnebre para atender a todas as pessoas falecidas e vamos também começar a restabelecer os serviços que foram suspensos", destacou Santos. EFE