Explosão perto de instituto chinês no Paquistão deixa 4 mortos

·2 min de leitura
Polícia no local do atentado suicida que custou a vida de quatro pessoas, incluindo três chineses, em Karachi em 26 de abril de 2022 (AFP/Rizwan TABASSUM) (Rizwan TABASSUM)

Quatro pessoas, três delas de nacionalidade chinesa, morreram nesta terça-feira (26) em um atentado reivindicado por separatistas baluches e cometido, segundo eles, por uma mulher, perto do Instituto Confúcio, ligado à Universidade de Karachi, no sul do Paquistão.

O Exército de Libertação do Baluchistão, que é um dos grupos que luta pela independênica da maior província do Paquistão, reivindicou o ataque e destacou que é o primeiro ataque suicida do grupo cometido por uma mulher.

Os separatistas do Baluchistão costumam atacar cidadãos chineses. Nessa província paquistanesa, a China está envolvida em grandes projetos de infraestrutura, no âmbito de sua iniciativa "Nova Rota da Seda".

Os separatistas manifestam há muito tempo seu descontentamento com os projetos de mineração e energia na região, afirmando que a população local não tem acesso aos benefícios e é expulsa de sua terra.

O "Exército de Libertação do Baluchistão aceita a responsabilidade do ataque de autossacrifício de hoje [terça-feira] contra os chineses em Karachi", disse o porta-voz do grupo, Jeeyand Baloch, em um comunicado publicado em inglês no aplicativo Telegram.

A polícia de Karachi confirmou que quatro pessoas morreram no ataque, o motorista do veículo e três funcionários do Instituto Confúcio que eram passageiros.

O Instituto Confúcio, dependente da Universidade de Karachi, faz parte de uma rede de programas culturais e educativos que a China opera em todo o mundo.

As imagens de um circuito fechado de câmeras divulgadas por um canal local de notícias mostraram uma mulher perto da porta do instituto, no campus da Universidade de Karachi, e o veículo se aproximando.

Quando estava a um metro do micro-ônibus, a mulher deu a volta, dando as costas ao veículo e ativou o detonador da bomba que carregava consigo.

O primeiro-ministro do Paquistão, Shehbaz Sharif, condenou imeditamente o ataque.

"Estou profundamente triste pela perda de vidas preciosas, incluindo as dos nossos amigos chineses neste ataque atroz hoje em Karachi", disse no Twitter.

ak-jaf/fox/cyb/sg/jvb/mis/tt/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos