Exposição em Madri ressalta "Guernica" de Picasso como símbolo perene da guerra

Por Isla Binnie

Por Isla Binnie

MADRI (Reuters) - Oitenta anos após o ataque aéreo sangrento contra a cidade espanhola de Guernica que levou Pablo Picasso a pintar uma obra-prima, uma nova exposição em Madri ressalta a importância duradoura de sua representação.

Adolf Hitler enviou seu poderio aéreo para apoiar as forças nacionalistas de Francisco Franco e atacar a cidade basca na tarde de 26 de abril de 1937, matando até 1.600 pessoas e ferindo centenas.

A mostra no museu Reina Sofia, o lar do quadro desde 1992, inclui fotos de jornais que mostram a destruição que o artista espanhol viu em sua casa em Paris e em que se baseou para sua pintura em preto e branco.

Com mais de 7,5 metros de comprimento e 3,5 de altura, o quadro "Guernica" foi encomendado para o pavilhão da Espanha na Feira Mundial de Paris de 1937.

Rosario Peiro, diretora de coleções do Reina Sofia, disse que, enquanto pesquisava, viu uma foto de uma imagem de "Guernica" em exposição na cidade síria de Aleppo.

"Ela aborda um sistema de destruição e terror que, infelizmente, está muito presente em nossas vidas", disse Peiro à Reuters. "É muito duro de compreender, você na verdade nunca para de pensar nisso."

Versões da imagem foram produzidas em tempos de conflito em locais que vão do Afeganistão até a Carolina do Sul, disse o curador da exposição, Timothy James Clark.