Exposição no CCBB-SP celebra os 50 anos do Movimento Armorial

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Personagem recorrente na obra do dramaturgo, professor, pintor e escritor Ariano Suassuna (1927-2014), a Onça Caetana é quem dará as boas-vindas ao público que visitar a exposição Movimento Armorial 50 Anos a partir desta quarta-feira (20) no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB SP), no centro da capital paulista. A exposição, gratuita, segue até o dia 26 de setembro.

Símbolo da morte, a Onça Caetana já foi representada de várias formas pelo próprio escritor. Uma delas foi registrada em uma de suas iluminogravuras, uma técnica que alia a iluminura 9decoração de letras capitulares) com os processos de gravação em papel. Em uma das pranchas do álbum Dez Sonetos com Mote Alheio, Suassuna desenhou a Onça Caetana de corpo amarelo e bolinhas vermelhas e asas imensas. E é essa forma que acabou sendo escolhida pelos bonequeiros mineiros Agnaldo Pinho, Carla Grossi, Lia Moreira e Pedro Rolim para virar uma imensa e bela escultura, que agora figura no espaço central do térreo do CCBB.

“A Onça Caetana foi desenhada pelo Ariano Suassuna. Vocês vão ver, na exposição, que ele a representou diversas vezes. A onça é uma mitologia do folclore nordestino. E conseguimos um bonequeiro de Belo Horizonte, que nos fez essa onça maravilhosa, que nos recebe logo na entrada”, disse Denise Mattar, curadora da exposição.

Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos no CCBB, por Rovena Rosa/Agência Brasil

A Onça Caetana e as iluminogravuras fazem parte do Movimento Armorial, que foi lançado por Suassuna em 1970, no Recife, com a proposta de produzir uma arte brasileira ligada às raízes da cultura popular, mas ao mesmo tempo erudita e universal. O movimento percorreu diversos caminhos: passou pela pintura, pela música, pelo teatro, pela dança e pela literatura. Dessa forma, reuniu a literatura de cordel, a música de viola, a xilogravura, o maracatu, a cavalhada e o reisado.

“Pensei em reunir um grupo de artistas que atuassem em todas as áreas e que tivessem preocupações semelhantes às minhas para que nós, juntos, procurássemos uma arte brasileira erudita fundamentada nas raízes populares da nossa cultura. E, através dessa arte, a gente lutar contra esse tal processo de descaracterização da cultura brasileira", descreveu Suassuna certa vez sobre o movimento, em uma entrevista.

A exposição, que já passou pelos CCBBs de Belo Horizonte e Rio de Janeiro, apresenta 140 obras, algumas delas que jamais tinham deixado o Recife. Além de Suassuna, há também trabalhos de sua esposa Zélia Suassuna, Francisco Brennand, Gilvan Samico, Aluísio Braga e Lourdes Magalhães. A curadoria é de Denise Mattar e a coordenação geral de Regina Rosa de Godoy.

Diferentemente dos demais espaços por onde já passou, em São Paulo a mostra traz ainda duas novidades. “Temos dois momentos que não estiveram nas outras exposições: no primeiro andar vamos ter um espaço para a xilogravura. As pessoas vão poder visitar a exposição e fazer uma xilogravura. E um segundo momento é uma obra que está no terceiro andar, chamada Bumba meu boi, do Francisco Brennand”, disse Regina Godoy.

A exposição

Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB. - Rovena Rosa/Agência Brasil

Após encontrar a Onça Caetana, o visitante será conduzido ao quarto andar do edifício, onde está o núcleo Ariano Suassuna, Vida e Obra, que apresenta uma cronologia ilustrada, livros e manuscritos do escritor e vídeos de suas famosas aulas-espetáculos. Nesse andar também se encontra o famoso alfabeto sertanejo.

Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos no CCBB, por Rovena Rosa/Agência Brasil

Já no terceiro andar estão os figurinos criados pelo artista pernambucano Francisco Brennand (1927-2019) para o filme A Compadecida (1969), de George Jonas, baseado na peça O Auto da Compadecida, de Suassuna. Além dos desenhos originais, esse núcleo apresenta as roupas dos personagens do filme que foram recriadas para a exposição, com exceção do figurino da personagem da Compadecida, que é original e foi usado pela atriz Regina Duarte para o filme.

O segundo andar, por sua vez, apresenta os dois momentos do Movimento Armorial: a chamada fase experimental e a segunda fase. Na fase experimental, com o início do movimento, há apresentação dos trabalhos de Fernando Lopes da Paz e Miguel dos Santos e uma sala especial dedicada à obra de Gilvan Samico. Aqui também se apresenta um resgaste da Orquestra e do Quinteto Armorial, grupos que criaram uma música erudita com influência popular. Já na segunda fase se encontram as iluminogravuras de Suassuna, a tapeçaria e as cerâmicas feitas por sua esposa Zélia Suassuna e os espetáculos do grupo de dança Grial.

No primeiro andar do edifício do CCBB serão apresentadas as produções de cinema, teatro e TV que adaptaram os livros de Suassuna. Nessa andar também haverá espaço para as oficinas de xilogravura e contações de histórias. “Também criamos um espaço, com uma parede imantada, com elementos das iluminogravuras que as crianças vão poder montar”, disse a curadora.

Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB. - Rovena Rosa/Agência Brasil

A exposição termina no subsolo, onde se encontram xilogravuras assinadas pelo mestre J.Borges [que está sendo homenageado, em São Paulo, em uma exposição no Centro Cultural Fiesp], além de referências a folguedos populares como o maracatu, o reisado e o cavalo-marinho, reunindo máscaras, trajes, fotos, estandartes e adereços.

A partir de agosto, o público poderá ter um contato mais próximo com o Movimento Armorial, com uma programação paralela à exposição: haverá uma aula espetaculosa apresentada pelo filho de Suassuna, Manuel Dantas Suassuna, bate-papos e uma série de espetáculos musicais. Além disso, haverá um tour virtual pela exposição, com duas horas de música armorial, por meio do acesso ao QRCode que estará localizado em alguns lugares da mostra. Também está sendo disponibilizada uma playlist no Spotify do Banco do Brasil.

A curadora Denise Mattar e a coordenadora geral Regina Rosa de Godoy da Mostra Movimento Armorial 50 anos, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
A curadora Denise Mattar e a coordenadora geral Regina Rosa de Godoy da Mostra Movimento Armorial 50 anos, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.

A curadora Denise Mattar e a coordenadora geral Regina Rosa de Godoy da Mostra Movimento Armorial 50 anos, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB. - Rovena Rosa/Agência Brasil

“A exposição fica fixa até setembro e, além dela, temos eventos complementares: cinco encontros para a música e também temos as conversas que vão versar sobre artes plásticas, música, teatro e dança e vai mostrar essa efervescência cultural”, disse a coordenadora geral da mostra, Regina Godoy, em entrevista à Agência Brasil.

“Eu faço parte desse universo nordestino que está aqui. Sou filha desse universo. Minha mãe veio para cá, para São Paulo. Para mim, é uma honra trazer esse sonho para cá, fazendo essa ponte para que essas raízes sejam lembradas e homenageadas. Espero que as pessoas que visitarem a exposição se reconheçam aqui, se reconectem com essa arte que existe dentro delas”, destacou Regina.

Shopping Cidade Jardim

Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB.
Mostra Movimento Armorial 50 anos, movimento artístico criado por Ariano Suassuna, com curadoria de Denise Mattar, no Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB. - Rovena Rosa/Agência Brasil

Imagens de obras do movimento armorial e que estão em exposição no CCBB estão sendo projetadas no túnel que liga o Shopping Cidade Jardim ao seu estacionamento. A projeção pretende dar as boas vindas à exposição no CCBB.

A expectativa é que cerca de 17 mil pessoas visitem esse ambiente de realidade virtual, que estará aberto ao público todas as sextas, sábados e domingos até setembro.

Mais informações sobre a exposição podem ser obtidas no site do CCBB.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos