Expulsão de Ibaneis do MDB ganha força após atos terroristas em Brasília

Senador Renan Calheiros (MDB-AL) encabeça o movimento pela expulsão de Ibaneis, governador do DF afastado após invasão pró-Bolsonaro em Brasília - Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) encabeça o movimento pela expulsão de Ibaneis, governador do DF afastado após invasão pró-Bolsonaro em Brasília - Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
  • Apoio de Ibaneis Rocha ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) é mau visto por nomes de peso do MDB;

  • O senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que vai buscar expulsão do governador afastado ‘pelos males que ele praticou’ em benefício de Bolsonaro;

  • Segundo Calheiros, o estatudo da sigla permite expulsar filiados com conduta incompatível com o mandato e função pública.

Membros do MDB estão articulando um movimento para expulsar Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, do partido após ele ter sido afastado do cargo. O ministro Alexandre de Morais, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou afastamento do gestor após falhas de segurança no DF durante os ataques antidemocráticos promovidos por bolsonaristas na capital federal no último domingo (8).

O apoio de Ibaneis ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) dificultou o trânsito dele na legenda. No segundo turno das eleições de 2022, o governador reeleito manteve-se ao lado do então candidato à reeleição, mesmo quando a ex-presidenciável pela sigla, Simone Tebet, declarou apoio a Lula (PT).

O gestor não participou de nenhuma das posses de ministros de governo que integram o MDB. Além disso, quando Baleia Rossi, presidente da agremiação, buscou a liderança da Câmara, Ibaneis decidiu apoiar Arthur Lira (PP-AL).

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) encabeça o movimento pela expulsão de Ibaneis. Em entrevista ao portal UOL, o parlamentar disse que iria defender a saída do governador do DF ‘pelos males que ele praticou’ em benefício de Bolsonaro.

“Sou do mesmo partido, mas vou defender que ele seja expulso do MDB pelos males que praticou, não apenas neste final de semana. Ele vem praticando em benefício do Bolsonaro e desses terroristas há bastante tempo”, disse Renan.

Calheiros ainda lembrou ao portal Metrópoles que o estatuto da sigla permite expulsar filiados com conduta incompatível com o mandato e função pública.