EXTRA e O Globo promovem carnaval virtual em suas plataformas digitais

Geraldo Ribeiro
·3 minuto de leitura

Como sabemos, esse ano não vai ser igual aquele que passou, como diz a letra da antiga marchinha “Até quarta-feira”. Por conta da pandemia, não veremos os desfiles das escolas de samba e dos blocos pelas ruas da cidade. O jeito é esperar toda a população ser vacinada, torcer para a crise passar e planejar uma grande festa para 2022. Mas, até lá, já vimos que não é preciso guardar a fantasia e ficar só chorando as mágoas por estar órfão da festa de Momo.

Para manter viva a chama da folia, o EXTRA e O Globo vão promover nas suas plataformas digitais (Twitter, Facebook, YouTube e sites dos dois jornais) uma série de ações especiais, desde hoje até o próximo dia12. Assim, os foliões vão poder acompanhar à distância, e respeitando os protocolos de segurança, encontros de personalidades das escolas de samba, que participarão de debates, shows em formatos de live com os intérpretes das principais agremiações cariocas, fotogalerias e enquete para interação com o público, entre outras atrações.

A iniciativa é comemorada por quem vive a folia em tempo integral. É o caso do comentarista e carnavalesco, Milton Cunha, um dos convidados do debate sobre os impactos da pandemia no carnaval de 2021 e perspectivas para o próximo desfile:

— Faz parte da vida da cidade conversar sobre desfiles, sambas, escolas que foram destaque. Quando não há essas apresentações, fica uma lacuna que deve ser preenchida com conversas, debates e lives para mostrar que o carnaval está vivo, ainda pulsa, aguardando a normalidade para, um dia, voltar a se manifestar com força.

Sem o palco da Sapucaí, intérpretes como Zé Paulo Sierra, da Viradouro, campeã de 2020, veem no projeto a oporunidade de o samba “marcar território”:

— Muitos dos nossos estão sofrendo e passando dificuldade sem trabalho. É preciso olhar pelo nosso gênero. Salve o samba, salve o carnaval!

Ito Melodia, da União da Ilha, que, como Sierra, é convidado da live, concorda que essa é a forma de manter acesa a chama da folia:

— Não vai ter o desfile, mas a gente tem de estar sempre lembrando o carnaval.

Confira abaixo a programação.

Debate: Milton Cunha, comentarista e carnavalesco; Rachel Valença, jurada do Estandarte de Ouro, pesquisadora e escritora; Tarcísio Zanon, carnavalesco campeão do Grupo Especial em 2020 pela Viradouro; e Gabriel Haddad, vice-campeão pela Grande Rio são convidados do debate sobre impactos da pandemia no carnaval e as perspectivas para 2022. A mediação será do jornalista e comentarista de carnaval Leonardo Bruno, e a transmissão na quarta-feira, dia 10/2, às 16h.

Shows on-line: A live com grandes intérpretes das escolas de samba reúne na quinta-feira, dia 11/02, a partir das 16h, Neguinho da Beija-Flor (Beija-Flor), Zé Paulo Sierra (Viradouro), Emerson Dias e Quinho (Salgueiro), Ito Melodia (União da Ilha) e Gilsinho (Portela).

Fotogaleria: Uma seleção especial de imagens do acervo dos jornais contará a história de importantes momentos dos desfiles de carnaval na Sapucaí, a partir de hoje.

Sambas para ouvir: Uma playlist, no canal do jornal Extra no Spotify, vai reunir, a partir de hoje, os melhores sambas-enredos de todos os tempos.

Enquete: Leitores poderão votar, a partir de hoje, no melhor desfile de cada escola de samba do Grupo Especial, desde 1998.