Exxon tem prejuízo de US$2 bilhões em venda de ativo com problemas na Califórnia

Por Gary McWilliams

HOUSTON (Reuters) - A Exxon Mobil terá uma perda de até 2 bilhões de dólares na venda de um campo de petróleo e gás marítimo na Califórnia que está ocioso desde um vazamento de oleoduto em 2015.

A venda ocorre após uma tentativa fracassada neste ano de reiniciar a produção no local e conforme a Exxon se desfaz negócios com baixo desempenho. Autoridades de Santa Bárbara rejeitaram em março um plano da Exxon de reiniciar as operações e enviar petróleo por meio de dezenas de caminhões-tanque todos os dias para refinarias no interior.

A Sable Offshore, uma empresa "de cheques em branco" fundada pelo veterano da indústria James Flores, emprestará 97% do preço de compra da Exxon de 643 milhões de dólares sob um empréstimo de cinco anos. As chamadas empresas de cheques em branco arrecadam dinheiro para adquirir negócios operacionais. Se Flores não reiniciar a produção no campo de Santa Ynez até o início de 2026, a Exxon poderá retomar toda a operação, revelou a Sable em um documento.

A Exxon não estava imediatamente disponível para comentar os termos do acordo. A empresa acelerou as vendas de ativos para cortar custos operacionais e melhorar os retornos após uma perda histórica em 2020.

Flores buscará licenças para reiniciar Santa Ynez e espera produzir cerca de 28.100 barris de petróleo e gás por dia a partir de 2024, de acordo com uma apresentação a investidores da Sable. O campo tem 112 poços e potencial para pelo menos mais 100 poços, de acordo com a apresentação.

Um vazamento de oleoduto submarino sete anos atrás despejou 2.400 barris de óleo de Santa Ynez para o Oceano Pacífico, levando a um desligamento. A Exxon adquiriu o gasoduto de seu proprietário e vem tentando retomar a produção.

(Por Gary McWilliams)