Fábio Faria e Rodrigo Pacheco são primeiras autoridades no Brasil a lamentar morte de Elizabeth 2ª

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 12.04.2022 - O ministro das Comunicações, Fábio Faria. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 12.04.2022 - O ministro das Comunicações, Fábio Faria. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro das Comunicações, Fábio Faria, lamentou, nesta quinta-feira (8), a morte da rainha Elizabeth 2ª. No Twitter, classificou como "uma grande perda para todo mundo". "Foi uma líder que serviu de exemplo para muitos e cumpriu sua missão de vida. Que Deus conforte os familiares", afirmou.

Faria compartilhou imagem do pronunciamento da família real nas redes sociais. O ministro é o primeiro do governo Jair Bolsonaro a se pronunciar sobre o falecimento.

Pouco depois, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que a rainha "cumpriu seu papel constitucional com louvor" e que ela foi um "exemplo de estadista".

"Recebo com tristeza a notícia do falecimento da rainha Elizabeth 2ª. Ela era a chefe de Estado do Reino Unido e de mais 14 Estados independentes dos Reinos da Comunidade de Nações. A rainha também liderava a Commomwealth, a Comunidade das Nações, organização intergovernamental composta por 56 países e população de 2,5 bilhões de pessoas", escreveu, em suas redes sociais.

"Aos 96 anos, e mais de 70 anos de reinado, Elizabeth vivenciou alguns dos momentos mais importantes da história da humanidade. Cumpriu seu papel constitucional com louvor e foi um exemplo de estadista. Em nome do Congresso Nacional brasileiro, presto condolências à família e a todo o povo do Reino Unido", completou.