Fábio Faria tenta viabilizar a privatização da EBC, promessa de campanha de Bolsonaro

Julia Lindner
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Apesar de ter descartado a privatização da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) há cerca de seis meses, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou nesta quarta-feira que tenta viabilizar a venda da estatal. Depois de se reunir com integrantes da equipe econômica, Faria decidiu encaminhar um estudo sobre a EBC ao Programa Nacional de Desestatização (PND).

"Após a inclusão no PND, o BNDES vai contratar uma consultoria e iniciar os estudos. A partir das informações que nós iremos receber, vamos definindo o melhor modelo", afirmou Faria em nota.

Em setembro do ano passado, Faria prometeu "enxugar" a EBC. Na época, ele justificou que a empresa é deficitária e, por isso, não haveria interessados na compra. A venda da estatal fez parte da campanha do presidente Jair Bolsonaro e a ideia já foi ventilada algumas vezes durante a atual gestão, mas sem avanços concretos.

De acordo com o Ministério das Comunicações, os prazos, o modelo de desestatização e a venda de ativos só serão definidos após a etapa de estudos.

"A expectativa é que a gente avance para saber qual é o futuro da EBC. Até o momento, não existe nenhuma hipótese cravada. A gente vai trabalhar em parceria com o Ministério da Economia e o MCom para saber exatamente o melhor modelo", disse o presidente da estatal, Glen Valente.

A EBC, conglomerado de mídia estatal, responde pela TV Brasil, pela Agência Brasil e por diversas emissoras de rádio, incluindo a Rádio Nacional. Em postagem no último final de semana, em uma discussão no Twitter, Faria revelou que a estatal dá prejuízo anual de R$ 550 milhões