Fábrica da Bélgica nega culpa por cortes de vacinas da AstraZeneca para a UE

Francesco Guarascio
·1 minuto de leitura
Frasco de vacina da AstraZeneca contra Covid-19 em Maidstone, no Reino Unido

Por Francesco Guarascio

SENEFFE (Reuters) - Uma fábrica da Bélgica que supostamente é a causa de grandes cortes nos suprimentos da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca para a União Europeia disse nesta quarta-feira que produziu todas as doses exigidas no contrato que tem com a empresa anglo-sueca.

A fábrica, que a empresa norte-americana Thermo Fisher adquiriu da Novasep em 15 de janeiro, foi identificada em reuniões internas da AstraZeneca como a causa dos cortes, disseram várias autoridades da UE.

"Cumprimos todas as exigências contratuais que temos com a AstraZeneca", disse o vice-presidente da Thermo Fisher para a UE, Cedric Volanti, em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira ao ser indagado sobre possíveis problemas de produção que a fábrica enfrentou.

A AstraZeneca não estava disponível de imediato para comentar.

No dia 15 de janeiro, a AstraZeneca anunciou cortes em seu suprimento de vacinas para a UE no primeiro trimestre que autoridades do bloco disseram equivaler a uma redução de 60%, ou para 31 milhões de doses, até março.

Autoridades da UE disseram várias vezes que a AstraZeneca lhes disse que a causa do problema eram questões de produção na fábrica belga da Novasep.

Volanti não quis comentar o número de doses que a empresa se comprometeu a produzir para a AstraZeneca e sublinhou que a mudança de propriedade não teve nenhum impacto negativo na capacidade produtiva da fábrica.

(Por Francesco Guarascio; reportagem adicional de Ludwig Burger)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES